Gal Gadot estampa a capa e recheio da edição de junho da revista On Dish, da operadora de TV a cabo DISH Network. A matéria é para divulgar a exibição de Impact na TV, no canal National Geographic, em 24 de junho, nos EUA. Confira a seguir a tradução da matéria.

Impact with Gal Gadot: A estrela do filme de sucesso apresenta as Mulheres-Maravilhas desconhecidas da vida real

por Jeff Pfeiffer

Quando Mulher-Maravilha chegou às telonas, em 2017, se tornando um sucesso internacional de bilheteria, ele teve um impacto significativo em alguns telespectadores com sua heroína, Diana (interpretada pela estrela Gal Gadot), tornando-se instantaneamente uma influência para meninas e jovens mulheres pelo mundo e inspirando-as a abraçar descaradamente suas próprias forças, habilidades e poderes para o bem.

“Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades” é um tema conhecido em histórias de super-heróis e Gadot adotou esta máxima não apenas por meio de sua personagem da telona, mas também nos seus feitos como uma das atrizes e produtoras mais reconhecidas do mundo. Percebendo o impacto que ela poderia continuar a ter naqueles que foram inspirados pela sua personagem, Gadot tem usado o superpoder de seu sucesso fora das telas para reconhecer e encorajá-los.

Neste mês, na Nat Geo (EUA), você verá uma maneira especialmente ilustre de como a atriz tem feito isso, no documentário Impact with Gal Gadot. Este longa, no qual Gadot é produtora executiva, é uma coleção completa de seis documentários curtos que foram exibidos no Youtube do canal, anteriormente, este ano, cada um com uma introdução de Gadot e narrando a história poderosa de uma mulher que causa impacto em sua comunidade. As mulheres mostradas em cada história vêm de histórias diferentes: Brasil, Porto Rico, Michigan, Califórnia, Louisiana e Tennessee, mas ainda estão todas ligadas por seus compromissos de melhorar as vidas das pessoas ao redor delas.

Depois que fiz Mulher-Maravilha,” Gadot diz, “senti que tinha um grande alcance nas pessoas e simplesmente queria fazer algo bom, queria usar o meu alcance e minhas plataformas para chamar atenção para essas histórias de mulheres incríveis e maravilhosas e, talvez, acender algo nelas e criar um movimento de pessoas que simplesmente querem fazer o bem no mundo.

Acho que com todas essas mulheres [em Impact], o que podemos ver é que elas vêm de circunstâncias diferentes, seja a violência, pobreza, trauma, preconceito, desastres naturais. Ainda assim, isso lhes dá força. Isso dá a elas mais poder para desafiar, sonhar, mudar, falar e realmente fazer uma mudança nas comunidades delas.

Essa mudança vem na forma de tudo, de uma técnica de patinação de 20 anos empoderando garotas pretas dentro e fora do gelo, em Detroit; a uma mulher porto-riquenha de 19 anos que lidera uma equipe de estudantes da faculdade cuja invenção de filtragem de água está finalmente dando aos moradores água potável, após o Furacão Maria, em 2017; a uma bailarina de 23 anos gerenciando uma companhia de dança para jovens meninas no meio de uma das favelas mais perigosas do Rio de Janeiro; e mais.

Fico chamando elas de minhas Mulheres Maravilhosas,” Gadot diz sobre as garotas mostradas em Impact, “pois elas são as verdadeiras heroínas. Eu vou para o estúdio, me visto, pego meu traje e espada e tudo o mais, luto, mas é faz de conta. Elas estão, de fato, in loco, suando e fazendo tudo o que podem para realmente tornar o mundo um lugar melhor.

Impact estreia na National Geographic dos EUA quinta-feira, 24 de junho. Ainda não há confirmação da data de estreia do documentário no Brasil.