Gal Gadot é a capa e o recheio da revista Maria Claire Brasil (chegou nossa vez!) de novembro de 2021. Em uma ótima entrevista conduzida por Camila Lima, a atriz falou sobre a maternidade, sua rotina de trabalho e seus futuros projetos.

Em entrevista à Marie Claire, a atriz israelense fala sobre a gravidez na pandemia, a rotina como mãe de três filhas, carreira e outros detalhes que fazem dela verdadeira Mulher Maravilha

Por Camila Lima

Não é fácil encontrar a Mulher Maravilha. E não por causa do avião invisível que ela usa para se locomover nos desenhos animados. Pegar Gal Gadot – a atriz israelense de 36 anos que desde 2016 dá vida à heroína mais famosa do multiverso – no laço para uma entrevista requer dedicação, além de uma generosa quantidade de e-mails e mensagens de WhatsApp trocados com os assessores, agentes e secretários pessoais da estrela, que negociaram cada minuto desta entrevista de capa.

Não é para menos. Um dos nomes mais requisitados de Hollywood, Gal alcançou, em 2020, o terceiro lugar na lista das atrizes mais bem pagas da indústria cinematográfica, atrás apenas de Sofia Vergara e Angelina Jolie. E, diferentemente da personagem de quadrinhos que catapultou sua carreira, gasta boa parte de seu tempo em boeings de verdade, quase sempre na longa rota de 15 horas que separa Los Angeles de Tel Aviv, onde mora oficialmente.

Sua agenda, que nunca foi fácil, está ainda mais complicada estes dias. É que em 12 de novembro ela estreia Alerta Vermelho, o longa-metragem do Netflix de orçamento mais alto até hoje – leia-se U$ 200 milhões –, em que dá vida a Bispo, uma ladra de obras de arte, a primeira vilã de sua carreira.

Foi muito interessante viver uma personagem que não é pura nem vive pelo bem, como a Mulher Maravilha. Como toda atriz, gosto de explorar a mais variada gama de emoções possível”, explica.

Como já de praxe em sua carreira, desde que estreou em Velozes e Furiosos, em 2009, o filme é recheado de cenas de ação, com armas, lutas, helicópteros e perseguições, que a atriz executa tão bem.

Dirigido e escrito por Rawson Marshall Thurber, Alerta Vermelho conta a história de um agente da Interpol, papel de Dwayne Johnson, que vive à procura de dois dos ladrões de arte mais procurados do mundo, interpretados por Gal e Ryan Reynolds. “Bispo é atrevida, engraçada e nada correta. Bem diferente de tudo que havia interpretado até então”, conta a estrela. O coleguismo no set também colaborou para o fato de ela ter gostado tanto da experiência. “Tanto Rawson quanto Ryan já eram meus amigos, havíamos trabalhado juntos em Velozes e Furiosos. Os dois são supertalentosos, além de muito engraçados”, completa. Não precisa dizer que os atores formaram uma trinca de protagonistas perfeita no filme que mistura ação e comédia. Não tem como não botar também nessa conta os U$ 20 milhões que presume-se que cada um deles tenha ganhado.

Previstas para começar no início de 2020, as filmagens de Alerta Vermelho, como tudo, foram atropeladas pela pandemia de covid-19. A retomada só aconteceu em setembro de 2020 e trouxe alívio à vida da atriz. “Foi um período de tanta negatividade e incertezas que voltar a trabalhar dava a sensação de que a vida entraria nos eixos”, conta.

Nascida em Petah Tikva e criada em Rosh HaAyin, ambos distritos vizinhos e próximos a Tel Aviv, em Israel, Gal é filha de uma professora e um engenheiro. Tem um pouco de sangue polonês e austríaco, um pouco de alemão e tcheco. Sua ascendência é asquenaze [a maior comunidade judaica do mundo, de origem europeia]. Fala hebraico, inglês e é formada em biologia. “Minha irmã [mais nova] e eu tivemos uma educação maravilhosa. Apesar de protetores, nossos pais sempre nos permitiram ser livres e incentivaram que fôssemos independentes para traçar nossos caminhos”, conta.

Graças a esse suporte, Gal viveu muitos papéis na vida real. Foi babá e trabalhou em fast-food até se tornar, aos 18 anos, miss Israel. Outro detalhe curioso de seu currículo diz respeito aos dois anos em que integrou as Forças de Defesa de Israel, serviço militar obrigatório entre as mulheres de seu país. Por lá tornou-se instrutora de combate e adquiriu princípios que acabaram sendo determinantes nas personagens que viveu. E, não, não estamos falando (só) do fato de ela saber pegar em armas.

Mais do que qualquer ensinamento ou habilidade física que eu tenha desenvolvido nos anos de exército, minha maior lição lá dentro foi a de entender a importância do coletivo, do trabalho em grupo. Isso é fundamental na vida de quem faz cinema”, afirma. “E não falo apenas sobre essa necessidade dentro do elenco. As pessoas que trabalham por trás das lentes, dos eletricistas aos maquiadores, sempre os primeiros a chegar e os últimos a sair, são essenciais no meu trabalho. É preciso ser sempre atencioso com elas, só assim somos capazes de atuar de forma eficiente”, completa.

Family First

O final de 2020, ano em que o mundo vivia um período de medo, isolamento social e lockdown, marcou a vida da estrela por um motivo extra. Gal e seu marido, o empresário Jaron Varsano, com quem é casada desde 2008, se viram grávidos do terceiro bebê da família – Daniella hoje tem cinco meses, Alma, 10 anos, e Maya, 4. “Esses tempos foram muito desafiadores e trouxeram diferentes realidades que tivemos que enfrentar. Mas, ao mesmo tempo, acabaram me energizando e me deixando mais forte para aceitar os desafios”, diz.

A amamentação faz parte dessa lista. Sua foto com a bomba de tirar leite enquanto se maquiava no set, que ganhou quase 2,5 milhões de curtidas em seu perfil no Instagram, representa bem o momento. “Tenho a sorte de que, para cada projeto longo que eu faça – e eles normalmente são assim –, levo todos comigo. Costumo dizer que somos como uma família de circo, que sempre viaja junto.” Aos olhos da atriz, a ajuda de sua própria família e a do marido são essenciais para seu sucesso profissional. “Como disse, acredito no poder do coletivo, em qualquer instância e em qualquer núcleo. Não é simples atuar e fazer uma cena de humor quando um filho seu ficou doente ou você não dormiu quase nada na noite anterior”, diz. Quando vê a luz vermelha da câmera acesa, no entanto, ela se transporta. “Tento me concentrar apenas naquilo, e deixo para descansar depois”, conta. Ajuda bastante o fato de Jaron e ela compartilharem o propósito de oferecer uma vida saudável às meninas. “É exaustivo para todos nós, vivemos equilibrando pratinhos”, afirma.

Longe das viagens e dos sets, a atriz faz tudo para sua vida ser a mais corriqueira possível e defende a rotina como método educacional. “Quando estou em casa, tento fazer as mesmas coisas sempre. Acordo cedo, arrumo as lancheiras das meninas e as preparo para a escola. Daí, geralmente vou malhar e ficar com minha bebê. Depois, faço ligações e reuniões. Pelo menos agora, como tudo acabou em Zoom, ficou mais fácil”, diz. E o turno tem hora para acabar. “Tento sempre terminar o meu dia cedo, para poder buscar as crianças na escola”, afirma. Gal conta ainda que, na vida real, adora os papéis de cozinheira e dona de casa. “Amo fazer da minha casa um lar e passar meu tempo assim.” No fim do dia, depois de colocar as filhas para dormir, ela volta a ler scripts e resolver assuntos de trabalho. Até o dia seguinte, lhe restam cinco horas de sono, se tanto. “Quando consigo dormir tanto tempo, já me dou por feliz.

Mulheres Extraordinárias

Além da consolidada carreira de atriz, a israelense também comanda, desde 2019, a Pilot Wave Motion Picture, produtora que abriu com o marido. Foi nela que realizou um dos projetos mais significativos de sua carreira, o documentário Impacto. Lançado em maio deste ano pela National Geographic, a série de seis episódios, produzida parcialmente durante a pandemia, conta histórias de mulheres que vivem em áreas marcadas por violência, pobreza, opressão e desastres naturais ao redor do mundo, e que estão impactando positivamente suas comunidades. “Num período de tanta negatividade, trazer alguma luz e inspirar os outros a talvez agir e fazer coisas boas foi extremamente gratificante”, diz. “Tirei os holofotes de mim e os coloquei sobre mulheres extraordinárias, de origens difíceis e que lidam com os desafios da vida de forma heroica. Todas donas de uma determinação inabalável e compromissadas em melhorar a vida das pessoas ao seu redor”, explica. Uma das histórias documentadas se passa no Brasil e conta a trajetória da dançarina de balé Tuany, de 23 anos, que montou uma companhia de dança para meninas no meio de uma das favelas mais perigosas do Rio de Janeiro, no Morro do Adeus, parte do Complexo do Alemão. Os outros episódios se passam em Porto Rico, em Michigan, na Califórnia, na Louisiana e no Tennessee.

Além de produtora executiva, Gal estreia agora na carreira de escritora. É dela o argumento de seu próximo filme, que terá direção de Patty Jenkins, a mesma de Mulher Maravilha. Dessa vez, a ação, gênero que a consagrou, dá espaço ao drama – a atriz viverá a instigante Cleópatra. “Sempre fui fascinada pela história do Egito, um lugar progressista tanto na medicina quanto na matemática. Evidentemente, a figura de Cleópatra, central na história dessa civilização, sempre me atraiu muito”, conta. Quem espera mais do mesmo vai se surpreender. “Essa personagem sempre foi retratada sob o ponto de vista dos romanos, que não gostavam dela. Vamos celebrá-la de uma maneira muito especial. Acho que teremos algo épico”, completa.

Do outro lado da linha, escuto que meu tempo com Gal, infelizmente, havia terminado. Ainda queria saber de seus medos, suas impressões do Brasil e se algum dia imaginava ir tão longe. Prestativa e simpática, a atriz tenta responder às minhas perguntas com frases rápidas e objetivas. Nesse dia, ainda tem um compromisso com a imprensa e, na sequência, precisa colocar as filhas para dormir. Ficamos assim com o possível – e seguimos ambas equilibrando pratinhos e tentando abraçar o mundo. Cada uma a seu modo.

Inicio » Revistas | Magazines » 2021 » Nov | Marie Claire Brasil [Brasil]

Inicio » Ensaios Fotográficos | Photoshoots » 2017 » 023 | Dudi Hasson

Inicio » Ensaios Fotográficos | Photoshoots » 2020 » 006 | Dudi Hasson [Vanity Fair]

Em uma breve conversa com a Entertainment Weekly, Rawson Marshall Thurber, o diretor do filme mais caro da Netflix, falou sobre sua cena preferida do filme e os três atores principais: Dawyne Johnson, Ryan Reynolds e Gal Gadot.

A sequência de ação preferida do diretor é a luta apresentada em vídeo durante o Tudum, evento da Netflix. Nela, o trio está lutando no esconderijo secreto espanhol do vilão interpretado por Chris Diamantopoulos por causa de ovos valiosos.

A Linda Durona

Como a ilustre “Bispo”, Gadot trocou seu Laço da Verdade por um vestido Versace. E, de acordo com Thurber, a única preocupação real com sua roupa glamorosa era ter certeza de que havia uma fenda longa o suficiente para permitir que esse tipo diferente de mulher maravilha conseguisse acertar chutes desagradáveis em Johnson e Reynolds. “Queríamos que a sequência fosse divertida, perigosa e um pouco violenta“, disse Thurber, que ficou surpreso com a capacidade atlética de Gadot. “Este papel é muito mais próximo de quem Gal é. Ela é muito engraçada, muito charmosa e um pouco perversa.

Esta é a terceira colaboração entre Dwayne Johnson e Thurber. Para este filme, o diretor disse que gostaria de ir além com Johnson. Thurber ainda elogiou a química de Dwayne Johnson e Ryan Reynolds dentro e fora do set.

Alerta Vermelho estreará nos cinemas brasileiros em 04 de novembro, com distribuição da Imagem Filmes. Na Netflix, o filme estreará às 05:00 do dia 12 de novembro.

Na última semana, mais precisamente em 21 de outubro, a personagem Mulher-Maravilha comemorou 80 anos de sua existência (ela apareceu pela primeira vez na revista All-Star Comics #8, em 1941). Para comemorar o aniversário da super-heroína, Gal Gadot lançou uma coleção de itens da Mulher-Maravilha, em parceria com o site Represent, a DC Comics e a Warner Brothers.

A coleção limitada conta com camisetas e moletons em 5 estampas, boné e munhequeiras com o logo da Mulher-Maravilha em cores diferentes e um pôster que incorporam “força, verdade, coragem e compaixão.”

Camiseta “80 Anos de Maravilha” (R$170,00), moletom “Lute como Uma Garota” (R$285,00) e camiseta “Salvando o Dia” (R$170,00).

Para comemorar o lançamento, Gal Gadot publicou no Instagram “Junte-se a mim em comemorar os 80 anos da Mulher-Maravilha! Dizzy symbol Estou super animada em anunciar o lançamento da minha coleção exclusiva da Mulher-Maravilha! Sinto que essa linha realmente captura a magia e a força da Diana e espero que vocês curtam vesti-la tanto quanto curti cria-la! Confira o link na minha bio para os detalhes e não se esqueça de me marcar, quando você vesti-la! #80AnosDaMulherMaravilha

A coleção conta com itens que variam entre US$24.99 (R$145,00) e US$49.99 (R$285,00) que ficarão disponíveis apenas até 26 de novembro. O site entrega no Brasil: o frete de pelo menos um item é de aproximadamente R$70,00. Lembrem-se que compras acima de US$50,00 (item e frete) correm o risco de serem taxadas em 60% do valor da nota fiscal.

Camiseta “Graça & Força” (R$170,00), camiseta “Verdade & Amor” (R$170,00) e boné (R$145,00).

Os itens começarão a ser enviados em 22 de novembro.

A Netflix divulgou na manhã de hoje o segundo trailer oficial e com cenas inéditas de Alerta Vermelho. Além disso, os pôsteres oficiais do filme e da personagem de Gal Gadot, Sarah Black, também foram mostrados ao público.

O que chama a atenção é que ambos os pôsteres internacional e nacional informam que o filme será lançado em cinemas selecionados; no entanto, não há informação de quando isso acontecerá no Brasil (nos EUA é dia 05 de novembro).

O alerta vermelho é um aviso da Interpol para procurar e capturar os bandidos mais procurados do mundo. Mas como saber o que pode acontecer em um assalto que reúne o melhor agente do FBI (Johnson) e dois criminosos rivais (Gadot, Reynolds)?

Em suas redes sociais, Gal Gadot compartilhou a imagem do pôster de Sarah Black e escreveu: “A gênia criminosa número um do mundo? Soa bem. Junte-se ao Dwayne Johnson, Ryan Reynolds e eu quando #AlertaVermelho estrear em cinemas selecionados em 5 de novembro e na Netflix no dia 12!

Os pôsteres HQs podem ser conferidos em nossa galeria através dos links abaixo.

Inicio » Filmes | Movies » 2021: Alerta Vermelho (Red Notice) » Pôsteres

Durante uma breve conversa com Marc Malkin, do Variety, Gal Gadot disse aprovar Robert Pattison como o novo Batman e Zoë Kravitz como a Mulher-Gato.

O Rob está incrível,” a atriz contou durante entrevista no evento da Elle, e disse que já assistiu ao novo trailer, “Adoro a voz dele e adoro o tom de tudo. E AMO a Zoë. Ela está incrível. Ela é uma fofa. É uma mulher talentosa e estou muito feliz por ter outra mulher como companheira.”

O mais novo trailer de The Batman estreou no último sábado, 16 de outubro, durante a DC FanDome.

Sobre quando poderemos ver um filme repleto de super-heroína com a Mulher-Maravilha, Gal Gadot responder. “Isso é uma boa pergunta. Deveríamos pergunta a Walter Hamada [presidente da DC Filmes].

Ela ainda completou, rindo: “Na verdade, vou escrever isso nas minhas anotações e perguntar a ele.

Gal Gadot deu muitas entrevistas curtas, na noite de ontem, durante o tapete vermelho do evento da Elle, Women in Hollywood. Uma delas foi ao programa de TV estadunidense Extra, quando ela (não) falou sobre Mulher-Maravilha 3 e a alegria de ter mais um bebê em casa, com o nascimento de sua terceira filha, Daniella.

Por Terri Seymour

Gadot e seu marido Yaron Varsano deram as boas-vindas a Daniella, a terceira filha do casal, há três meses, e Gal falou sobre como suas filhas mais velhas e a família estão se ajustando.

A estrela disse que suas filhas, Alma, de 9 anos, e Maya, de 4, “Elas a amam, a amam! É uma sensação de estarmos inteiros, completos e estamos muito felizes e gratos.

Sua filha mais velha está prestes a fazer 10 anos e Gadot brincou sobre ser uma mãe jovem, “Eu comecei cedo, garota.” Sorrindo, ela completou, “Ela é uma boa irmã mais velha.

Gal é conhecida por seu papel de Mulher-Maravilha e estampa a capa da revista Elle deste mês. “Fiquei feliz por fazer parte de mulheres incríveis,” ela disse. E qual seria o poder dela, se ela pudesse escolher um na vida real? A estrela respondeu, “A habilidade de curar as pessoas, de fazê-las se sentir bem.

Os fãs estão alegres em saber que ela reprisará seu papel de Mulher-Maravilha! Gadot disse, “Não posso dizer muito… Mas está vindo, está sendo feito e Patty Jenkins vai dirigi-lo e será incrível.” Elas ainda não estão gravando. “Ainda temos um pouquinho de tempos,” ela fez graça. Ela também compartilhou que está sempre treinando, revelando que  “Me certifico de sempre malhar, pois isso faz com que me sinta melhor e eu curto isso… Eu não fico muito tempo sem treinar.

Veja a seguir a entrevista legendada completa.

Gal Gadot sabe rir de seus próprios feitos, quando é necessário. Durante seu discurso no evento anual da revista estadunidense Elle que homenageou as mulheres resilientes de Hollywood, a atriz começou cantando as primeiras estrofes da música Imagine, de John Lennon, em alusão ao seu vídeo bastante criticado, publicado no início da pandemia da COVID-19.

A atriz subiu ao palco, após a diretora e amiga Patty Jenkins elogiar sua ética profissional, sua gentileza no set e sua garra.

No seu discurso, Gal Gadot falou sobre o estereótipo da “diva de Hollywood”. ” Todos nós ouvimos histórias sobre a diva de Hollywood, todos nós, e devo dizer que estou fazendo isso tempo o bastante e nunca a conheci. Sinto como se ela fosse uma criatura mitológica, pois todas as mulheres com as quais trabalhei, do elenco a equipe e produção, foram as profissionais mais trabalhadoras e pé no chão que estavam focadas em fazer o melhor entretenimento possível. Além disso, muitas mulheres – para muitas delas – o set é apenas o primeiro turno do dia. Muitas de nós também somos mães e cuidadoras.

 

A homenageada ainda disse que parece que ela, e muitas colegas de profissão, sentem como se devessem ter tudo, ser tudo e nunca tirar um tempo para curtir o sucesso. “Nós nos esforçamos muito porque as coisas precisam ser feitas. Não somos impulsionadas; nós impulsionamos. Admiro muito como as mulheres são devotadas tanto à carreira quanto à vida em casa. Somos tão incríveis que quase não temos tempo nenhum para nós mesmas… O que estou tentando dizer é que sentimos que não podemos relaxar porque ainda não chegamos lá. Ainda assim, para mim, eu não subestimo nada.

Veja o vídeo da atriz passando pelos fotógrafos do evento e posando para as fotos a seguir. O link para as fotos em nossa galeria estão logo em seguida.

Inicio » Eventos & Aparições Públicas | Events & Public Appearances » 2021 » 10.19 | 27º Anual Elle’s ‘Women in Hollywood’ [Tapete Vermelho]

Inicio » Eventos & Aparições Públicas | Events & Public Appearances » 2021 » 10.19 | 27º Anual Elle’s ‘Women in Hollywood’ [Dentro]

Com informações da Elle.

Gal Gadot é a capa e recheio da edição de novembro da revista estadunidense Elle que homenageia as mulheres resilientes e corajosas de Hollywood. Leia a matéria publicada no site da revista traduzida a seguir.

Ela é mais conhecida por interpretar uma heroína que pode se teletransportar e voar. Mas o maior superpoder da estrela é sua disposição para defender – ela mesma e os outros

Gal Gadot insiste que não gosta de conflitos. Odeia, na verdade. Embora ela já tivesse fantasiado se tornar um “tipo completo de Ally McBeal“, ela deixou a faculdade de direito depois de apenas um ano. “A ideia agora de eu ser uma advogada“, ela diz, sua mente cheia de visões de monólogos de tribunal e terninhos com saias, “lidando com conflitos o tempo todo, não é para mim“.

É difícil conciliar isso com sua imagem de heroína de ação de Hollywood. Seja laçando bandidos como a Mulher-Maravilha ou, em seu novo filme Alerta Vermelho, segurando um dispositivo de eletrocução tão casualmente quanto se segura uma bolsinha Jacquemus, ela não parece exatamente temer contratempos na tela. (Em termos de acrobacias, ela diz: “Eu faço tudo o que o seguro me permite fazer.“) Mas fora da tela, Gadot é vista como quase sobrenaturalmente discreta, imitando sua observação de olhos arregalados em seus primeiros dias de atuação: “‘E você é paga para isso? Ooh, estou dentro. Tô dentro.’

Se ao menos fosse tão fácil. Depois de ser escalada para o Velozes & Furiosos de 2009, ela continuou fazendo testes até “me cansar de tentar“, ela diz. Quando ela quase desistiu, ela conseguiu o papel de Mulher-Maravilha. Quando criança em Israel, Gadot era muito nova para assistir à versão da TV de Lynda Carter; ela descreve sua infância como “[não] grande fã de quadrinhos“. Mas ela sabia que um filme de super-heroína liderado por uma mulher seria um divisor de águas. Um sucesso de bilheteria focado na personagem estava “atrasado”, ela diz. “As pessoas desejavam a história dela.” Para o primeiro filme, seu salário foi de meros (para os padrões de Hollywood) US$ 300.000. Na época, “Fiquei extremamente grata. Essa foi a minha grande chance.” Daí, o filme arrecadou mais de US$ 800 milhões. Quando a sequência, Mulher-Maravilha 1984, surgiu, “se você olhar para isso como um jogo de cartas, minha mão melhorou. Eu estava disposta a deixar a peteca cair e não fazê-lo se não fosse paga de forma justa.” Ela ganhou 30 vezes mais esse salário para a sequência. Dada sua aversão ao conflito, ela estava com medo de jogar duro? “Não, porque quando sou justa, também estou certa.

Outro exemplo de sua justiça e retidão: falar sobre os maus-tratos de Joss Whedon no set da Liga da Justiça. (Uma matéria do Hollywood Reporter alegou que Whedon abusou verbalmente de Gadot, quando ela compartilhou preocupações sobre sua personagem e diálogo. Whedon se recusou a comentar sobre a história. Embora suas observações no set não tenham sido tornadas públicas, Gadot disse na TV israelense, em maio, que Whedon “meio que ameaçou minha carreira e disse que se eu fizesse algo, ele tornaria minha carreira miserável“.) Questionada sobre sua reação inicial a esses comentários, ela disse: “Oh, eu estava pronta para tomar uma atitude assim isso que aconteceu. E devo dizer que os chefes da Warner Brothers, eles cuidaram disso…Voltando ao senso de justiça que tenho… você fica tonto, porque não acredita que te disseram isso. E se ele diz isso para mim, então obviamente diz para muitas outras pessoas. Eu apenas fiz o que achei que tinha que fazer. E foi dizer às pessoas que não era certo.

“Acho que teria feito a mesma coisa, se fosse um homem. Ele teria me dito o que disse se eu fosse um homem? Não sei. Nunca saberemos. Mas meu senso de justiça é muito forte. Eu fiquei chocada com a maneira que ele falou comigo. Mas que seja, já foi. São águas passadas.” Sua amiga e co-estrela de Mulher-Maravilha 1984, Kristen Wiig, observa que Gadot não tem medo de se defender. “Quando é preciso assumir esta função, ela é muito clara sobre o que é certo. As pessoas que pensam que ela é apenas um rosto bonito estão totalmente erradas.

Em Alerta Vermelho, ela dá uma pausa na heroína para interpretar uma ladra de arte que “não é um boazinha. Suas intenções não são puras como algumas outras personagens que interpreto.” O papel exigia que ela enfrentasse Dwayne “The Rock” Johnson. (“Ele é uma rocha gigantesca com o coração mais mole e doce“, ela murmura. “É como manteiga por dentro.“) Seu colega de elenco Ryan Reynolds confirma: “Ela pode ir cara a cara com praticamente qualquer pessoa, até mesmo uma montanha coberta de pele como Dwayne Johnson.” O papel também proporciona a ela alguns momentos cômicos. “Gal é incrivelmente adepta da comédia“, diz Reynolds. “Ela pode fazer algo grande, quando precisa; ela pode recuar, quando precisa.” Ela também está alongando seus músculos do drama de época com a mais recente adaptação de Kenneth Branagh para Agatha Christie, Morte no Nilo. (Informação curiosa sobre Gal Gadot: ela é uma grande fã de Christie.)

Agora que ela laçou Hollywood, Gadot está focada em seus projetos de paixão. Por meio de sua produtora, Pilot Wave (que ela fundou com seu marido, Jaron Varsano), ela está desenvolvendo um filme de Cleópatra. A famosa governante foi um “ícone” para ela, quando era criança, crescendo no Oriente Médio. Embora dificilmente seja a primeira tentativa de Hollywood de retratar Cleópatra, “sua história precisa ser contada de uma maneira diferente, da maneira real, celebrando quem ela era.” Ela também está produzindo e estrelando uma minissérie sobre Hedy Lamarr para a AppleTV + que explorará o papel menos conhecido da estrela da antiga Hollywood como inventora. Em uma época em que “as mulheres não tinham permissão para usar calças… ela não só usava calças, mas inventava coisas.” Linda, brilhante, subestimada por sua própria conta e risco? Parece a maior heroína de Gal Gadot.

Cabelo por Renato Campora para Fekkai; Maquiagem por Sabrina Bedrani para a Dior Beauty; Manicure por Shigeko Taylor para a Dior Vernis; Produzida por Jonathan Bossle na Tightrope Production.

A sessão fotográfica de Gal Gadot com o fotógrafo Greg Williams pode ser conferida em nossa galeria através dos links abaixo.

Inicio » Ensaios Fotográficos | Photoshoots » 2021 » 003 | Greg Williams [Elle]

Veja também vídeos de bastidores a seguir.