[TBT] Walla: O dia da Rainha

Gal Gadot falou ao Walla por que no Miss Israel ela não prometeu a “paz mundial”, contou onde compra roupas únicas, o que a assusta e por que ela gostaria de ser um cara por um dia. Confira essa entrevista de 2005.

Por Itamar Saida

Que diferente que é conversar com uma rainha da beleza que dá respostas engraçadas, surpreendentes e honestas, sem a conversa de “paz mundial”. Veja a entrevista com Gal Gadot, a Miss Israel de 2004, enquanto ela fazia as fotos para a coleção verão da grife Frida.

Por que as competidoras prometem, em todos os concursos, promover a paz mundial e contribuir com a comunidade, mesmo que quase nada resulte disso?
Gal Gadot: Na verdade, na cerimônia do Miss Israel, em contraste com a do Miss Universo, perguntas mais relevantes são feitas. Como alguém que participou do Miss Universo, me perguntaram muitas questões políticas e respondi a todos que sou a favor da paz, mas deixo o trabalho para os responsáveis por isso. Sou uma ganhadora de concurso de beleza e não política.

Se você tivesse a opção, gostaria de ter nascido homem?
Gal Gadot:
Me sinto bem como mulher. Apesar de que seria legal ser homem por um dia, ver o ponto de vista de vocês e fazer xixi em pé.

O que te assusta?
Gal Gadot: 
Há uma série de coisas que me assustam, por exemplo, não ter sucesso nas coisas que faço. Também me assusta chegar a um estado de desamparo, como é o caso dos idosos, que perdem sua independência.

Onde você comprar as suas roupas?
Gal Gadot:
Fora do país. Porque daí só eu tenho elas.

Que roupas você gosta de vestir?
Gal Gadot:
Jeans e camiseta.

Qual campanha você gostaria de estrela?
Gal Gadot:
Eu gostaria de estrelar a campanha do excelente perfume que eu uso, da Christian Dior. Não quero dizer exatamente qual perfume, para que o mundo todo não use.

Quem você gostaria de namorar?
Gal Gadot:
James Dean.

Se você não fosse uma modelo, o que você gostaria de fazer?
Gal Gadot:
Gostaria de ser uma dançarina, mais precisamente, uma coreógrafa.

As imagens feitas durante a entrevista podem ser encontradas nos links abaixo.

Inicio » Campanhas Publicitárias | Advertising Campaigns » Frida » Bastidores da sessão de fotos da Coleção Primavera/Verão

Gal Gadot fala sobre a problemática de Hollywood e o combate à violência contra a mulher em entrevista à imprensa israelense

Diretamente de Los Angeles, Gal Gadot participou de uma entrevista exibida no programa israelense Weekend News, do canal N12. A atriz falou abertamente sobre a perda de um familiar que a levou a participar do empoderamente feminino e luta contra violência doméstica, sua ligação especial com a sua terra Natal e a problemática de Hollywood, com um ator acusado de estupro e um diretor abusivo. A atriz também falou sobre os obstáculos de Hollywood devido à pandemia do novo corona vírus, sua saudades de Israel e a emoção de ter mais uma bebê a caminho.

Se você se pergunta como o ano do Corona está, acontece que o medo da incerteza também a afetou, “Eu passei pelo que todos passaram. Entre cozinhar, lavar, passar, ensinar e cuidar das minhas filhas e tentar equilibrar isso com o trabalho e o medo do que isso é, até quando e como será. Estou assistindo TV e também sinto isso.

Estamos em uma era de maldade, então quero trazer algo puro.

2020 era o ano que era para detonar os tapetes vermelho. Após anos de trabalho, a sequência Mulher-Maravilha 1984 era para estrear nos cinemas ao redor do mundo, mas no final ele acabou sendo adiado repetidamente. “Adiamos o filme umas 4 vezes. Quando a oportunidade de lançar o filme no Natal surgiu, de repente você diz, ‘Espera, temos a chance de compartilhar o filme com muitas pessoas que estarão sentados em casa, no Natal, e isso é muito legal para elas.’ Fico feliz com essa decisão, pois mesmo que este filme seja melhor exibido nos cinemas, pelo menos levamos conteúdo novo para muitas pessoas que o assistiu várias e várias vezes,” ela disse.

Entre outros filmes, Gadot e seu marido, o empresário Jaron Varsano, criaram uma produtora que está lançando um novo projeto, em colaboração com a National Geographic, Impact, uma série de documentários sobre as mulheres maravilhas da vida real. “Cada parte foca em uma protagonista diferente que é uma mulher real, uma protagonista da vida. Ela tem um impacto incrível na comunidade de onde vem. Todas essas mulheres vêm de origens muito complexas e, apesar de tudo, realizam uma mudança incrível. Acho que esta é a oportunidade de focar onde não seria focado. Quero mostrar o bem. Estamos em uma era de maldade, de apontar o dedo, quero trazer algo puro e inspirador para o mundo.

Um dia o marido dela simplesmente matou ela e os dois filhos, um acontecimento terrível.

Quando Gadot relembra seus 23 anos, ela fala sobre a ligação pessoal que tem na conscientização sobre a violência contra as mulheres: “Sou mãe de duas meninas, sou mulher e também perdi um parente e seus dois filhos. Hila Bachar é a minha querida e amada parente, um belo dia, o marido dela, Michael, simplesmente matou ela e os dois filhos. É um acontecimento terrível que precisa para ser erradicado e é precisa esclarecer o que pode e o que não pode ser feito.

Apesar das grandes mudanças acontecendo em Hollywod, uma atmosfera problemática de trabalho não deixou de acontecer, embora ela tenha alcançado o auge da indústria do cinema mundial. De acordo com relatos nos Estados Unidos, Joss Whedon, o diretor de Liga da Justiça, ameaçou prejudicar sua carreira, depois que ela pediu para fazer mudanças em seu personagem. “Ele meio que ameaçou minha carreira e disse que se eu fizesse algo, ele faria com que minha carreira fosse miserável e eu simplesmente cuidei disso.

Sobre o caso de estupro em Hollywood: “Uma pessoa tem que pagar o preço e assumir a responsabilidade.

A lista de projetos de Gadot é muito longa e ainda há um ponto de interrogação em torno de alguns deles. Um dos filme que ainda não foi lançado, Morte no Nilo, a atriz atua ao lado de Armie Hammer, que está sendo investigado recentemente por suspeita de estupro. “É muito complexo. Se a verdade é que ele fez coisas, isso não importa, a pessoa tem que pagar o preço por suas ações e assumir a responsabilidade. Não sei o que vai acontecer.

A estrela israelense está atualmente trabalhando com seu parceiro num projeto realmente importante, o terceiro bebê a caminho: “Está acontecendo, mais um.” Apesar do enorme sucesso no exterior, ela pensa antes de tudo na Terra Santa: “O lugar onde você mais deseja ter sucesso é sempre em casa. Eu me importo com o que eles escrevem aqui.

A entrevista completa e ainda sem legenda pode ser conferida a seguir.

Fonte: Mako

Gal Gadot fala sobre ‘Impact’ e suas filhas no programa ‘Conan’

Seguindo a divulgação de sua série documental com a National Geographic, Impact with Gal Gadot, a atriz esteve no programa do entrevistador Conan O’Brian na noite de ontem (04). Gal Gadot  exibiu um clipe do episódio que se passa no Brasil, Na Ponta dos Pés, e contou como a ideia da série surgiu.

(Vídeo ainda sem legenda)

Gal Gadot falou sobre sua terceira gravidez e como para as suas filhas, Alma de 9 anos e Maya de 4, ela é apenas uma mãe e não a Mulher-Maravilha, “Só quando há amigos por perto é que eu ainda sou descolada, mas vamos ver quanto tempo isso vai durar.

Ela também falou sobre seu novo projeto em andamento: a série da Apple TV sobre a atriz e inventora Hedy Lamarr, “Hedy Lamarr, basicamente, é uma personagem que ficou perdida e esquecida nas páginas da história. Ela era uma imigrante, uma imigrante judia da Áustria, que veio pros Estados Unidos nos anos 1930 e se tornou uma das maiores estrelas de Hollywood. Mas, ao mesmo tempo, ela era essa incrível inventora que queria ajudar, falando em impacto, os Estados Unidos, enquanto eles estavam lutando na Segunda Guerra. Portanto, ela e outro compositor inventaram esse sistema secreto de comunicação, que hoje é, basicamente, o Wi-Fi e o Bluetooth é baseado nisso. Ela só foi reconhecida pela invenção quando tinha 80 anos.

O terceiro episódio de Impact with Gal Gadot estará disponível na próxima segunda-feira, 10 de maio, no Youtube e Facebook do canal National Geographic e no Youtube, Facebook e Instagram de Gal Gadot.

 

 

[TBT] Totally Jewish: Gal Gadot fala sobre suas primeiras experiências no set

Nesta entrevista de 2011, Gal Gadot fala sobre sua nova série de TV, seu sucesso inicial em Hollywood e ajudar no hotel boutique que seu marido tinha em Tel Aviv, anos atrás.

Aos 26 anos, a beleza israelense Gal Gadot é modelo, esposa, mulher de negócios e estrela de Hollywood. Ela conta a Jenny Bamberger tudo sobre a sua nova série de TV, esbarrar em gente famosa e trocar os lençóis no hotel do seu marido…

Gal Gadot tinha acabado de terminar o serviço militar, quando fez o teste para Velozes e Furiosos 4, parte da franquia Velozes e Furiosos. Ela também havia acabado de aparecer na sessão de fotos Mulheres do Exército de Israel, da revista Maxim. E enquanto Gadot ainda está nos estágios iniciais de sua carreira de atriz, ela trabalhou ao lado de alguns dos maiores nomes de Hollywood, incluindo Vin Diesel, Tom Cruise e Cameron Diaz.

Filmar Velozes & Furiosos 4 teve o “efeito uau” para Gadot, já que foi a primeira vez que ela filmou nos Estados Unidos, sem falar em Hollywood. “Foi uma grande coisa para mim. Lembro-me da minha primeira reação ao estar no set: eu ficava pensando ‘Uau, tenho meu próprio trailer’.

Tudo era muito emocionante, havia um elenco enorme e o fato de eu poder trabalhar com tão grandes atores estadunidenses era tão novo e revigorante. Depois de Velozes & Furiosos 4, continuei a trabalhar nos Estados Unidos, quanto mais papéis eu fazia, mais normal isso se tornava. O ‘efeito uau’ passou gradualmente.

Filmar Velozes & Furiosos 5 – Operação Rio foi menos tenso do que filmar Velozes & Furiosos 4. Consegui me concentrar melhor no trabalho e aproveitar a experiência como ela era. Parecia uma grande reunião de família. Mesmo que todos, depois do último filme, tenham trabalhado separadamente em seus próprios projetos, conseguimos manter contato e ainda nos falávamos de vez em quando. Íamos jantar juntos sempre que estávamos todos em Nova York. Era sempre bom quando o grupo estava reunido novamente, então foi ótimo estar juntos por um longo período de tempo.

Então, quem são as melhores e piores pessoas com quem ela trabalhou?
É como me perguntar se gosto mais da mamãe ou do papai. Todos com quem trabalhei são especiais à sua maneira. Aprendi muito com Tom Cruise. Depois, há o Mark Wahlberg, que sempre me fazia rir. Tive a sorte de não ter que trabalhar com pessoas com as quais não tenho química. Tive experiências incríveis e aprendi muito com aqueles que se destacaram na indústria.

Gadot tem orgulho de sua herança e deseja levantar a bandeira de seu país, especialmente na Europa, onde as opiniões sobre Israel nem sempre são positivas.
Definitivamente tenho um forte senso de minha identidade judaica e israelense. Eu cumpri meu serviço militar de dois anos, fui criada em um ambiente familiar israelense muito judeu, então é claro que minha herança é muito importante para mim. Eu quero que as pessoas tenham uma boa impressão de Israel. Não me sinto uma embaixadora do meu país, mas falo muito sobre Israel, gosto de contar às pessoas de onde venho e da minha religião.

Descobri que as pessoas nos Estados Unidos, especialmente em Hollywood, tendem a ter opiniões positivas sobre Israel, tanto judeus quanto não-judeus. Mas quando eu viajo para a Europa, as pessoas geralmente não sabem muito sobre Israel e, infelizmente, muitos deles têm uma impressão negativa do país. É aí que eu falo e falo e conto a eles tudo sobre de onde eu venho.

Gadot não passa todo o tempo na frente das câmeras. Ela também ajuda na administração do hotel de seu marido, The Varsano, um hotel boutique cinco estrelas em Neve Tzedek, Tel Aviv, incluindo, ela afirma, trocando os lençóis. Quão envolvida ela esteve na criação do negócio da família?

Depois de filmar Velozes & Furiosos 4, meu marido Jaron e eu começamos a viajar para lá e para cá de Israel e dos Estados Unidos, o que foi difícil. Nós vimos hospedados em hotéis o tempo todo. Queríamos nos sentir em casa, foi quando descobrimos esses apartamentos dentro de um hotel em Los Angeles. Se tornou a inspiração para o hotel de Jaron, The Varsano. Acho que Jaron e eu formamos uma equipe muito boa. Eu entendo a carreira dele e ele entende a minha. Ajudamos um aos outro a progredir em todas as áreas da vida. Ambos somos muito motivados pela [nossa] carreira.

Apaixonada por passar tempo em sua terra natal, é difícil conciliar seu tempo entre Israel e Hollywood?
No momento, meu tempo está dividido entre Israel e Los Angeles. Embora a viagem às vezes possa ser difícil, isso significa que posso aproveitar os dois mundos. É muito importante para mim continuar trabalhando em filmes e dramas em Israel, enquanto também trabalhando nos EUA.

No momento, estou me concentrando na minha carreira de atriz. Adoro buscar novos projetos. Como ator ou atriz, você está sempre mudando de um empreendimento para o outro. Espero trabalhar no sexto filme de Velozes e Furiosos no próximo ano. Me sinto muito privilegiada por ter tido a oportunidade de trabalhar em uma franquia tão grande. Também estou trabalhando em algumas coisas em Israel, uma série de TV chamada Asfur (Proibido). Se for bem, há uma chance de fazerem uma versão estadunidense.

Então, talvez um dia eu passe mais tempo nos EUA. Mudar para Los Angeles é uma possibilidade. Estou sempre pronta para um desafio. Teremos que esperar para ver o que acontece.

Gal Gadot participa de painel de estreia de ‘Impact with Gal Gadot’: saiba o que rolou

Na noite de 26 de abril, data de estreia do novo documentário produzido por Gal Gadot e lançado pela National Geographic, a atriz e produtora participou de um painel de estreia ao lado da diretora Vanessa Roth e as heroínas da vida real Kameryn Everett, Kelsey Ellis e Tuany Nascimento. O Gal Gadot Brasil pode assistir a este painel, bem como a três episódios do documentário e fizemos um resumo de tudo para vocês.

Gal Gadot começou o painel apresentando a série e dizendo que, está “muito orgulhosa de amplificar as vozes delas através desta série. Espero que vocês fiquem tão inspirados como eu estou a ser o herói da sua própria história de vida.

A participação de Gal Gadot na série documental é muito curta, mostrando que as estrelas em questão são as meninas apresentadas. Para cada episódio, a atriz e produtora apresenta o impacto que cada uma delas gerou.

Ice Breakers

“Quero que elas sintam que não precisam esconder o que amam ou quem são para se apresentar.” Este é o desejo de Kameryn para as meninas que ela treina como patinadoras e modelo de vida, enquanto as lembra de sempre abraçarem a beleza, alegria e senso de identidade delas, dentro e fora do gelo. Este é o Impacto de Kameryn.

Ice Breakers, conta a história de Kameryn, uma treinadora de patinação artística de 20 anos, em Detroit, que dedicou sua vida a treinar garotas negras para empodera-las dentro e fora do gelo. Quem rouba a cena do documentário é Alyvia, umas das alunas de Kameryn, de apenas 8 anos, que recita dois lindos poemas dedicados a garotas pretas que acham que não têm um lugar no mundo e menos ainda na patinação artística.

Tivemos protestos. Tivemos discursos. Grandes líderes tentaram nos alcançar. Há milhares de coisas que posso pensar. Mas não. Ainda estamos fazendo as mesmas perguntas. Por quê?Não sei por quê este mundo não pode encontrar paz interior. Porque eu só quero andar pela rua e encontrar um lugar onde a felicidade e paz interior se encontrem.

Kameryn utiliza seus exitos como patinadora para mostras que elas fazem parte daquele lugar sim e de onde mais elas quiserem estar. Ela já treinou e mudou a vida de mais de 250 meninas pretas em Detroit.

O impacto de Kameryn é dedicado a todas as meninas do mundo que nos inspiram a sermos nós mesmas.

Surf Sisters

Luto e perda são as coisas mais universais que os humanos experimentam. Kelsey, que perdeu sua irmã gêmea para COVID-19 no ano passado, percebeu essa verdade. E em vez de se isolar em sua dor, ela estendeu a mão para ajudar a curar outras pessoas. Este é o impacto dela.

Surf Sisters, mostra como Kelsey, de Half Moon Bay, Califórnia, transforma seu luto em impacto ao curar outras mulheres por meio de um programa especial de surfterapia que ela iniciou para mulheres que sofrem os efeitos do tráfico humano, violência doméstica, agressão sexual, luto e perda. A irmã de Kelsey era enfermeira de transplantados e contraiu COVID-19 logo no início do surgimentos dos primeiros casos. Kensey conta que os médicos não sabiam direito o que a irmã dela tinha.

Para mim, este foi o episódio mais doloroso de assistir, dada a situação da pandemia no mundo e principalmente no Brasil. Mas, ao mesmo tempo que é doloroso, é bonito ver como Kelsey usa e honra a memória de sua irmã para o bem de outras pessoas, como sua irmã fazia em sua profissão.

Kelsey ajudou mais de 250 mulheres a se recuperarem de algum trauma. O trabalho dela faz parte de uma comunidade global, a Groundswell Community Project, uma organização de surf-terapia que já ajudou mais de mil mulheres.

O impacto de Kelsey é dedicado à sua irmã gêmea Audrey e todos aqueles que perdemos pela COVID-19.

Na Ponta dos Pés

“Quero que você acredite no impossível. Que desenhe a vida. Que forme pessoas. E, agora, tenho muito orgulho que você pode inspirar outros.” Esta linda frase é da Tuany, que deu a uma geração de jovens garotas um lugar seguro para se sentirem protegidas, amadas e saberem que elas são mais capazes e mais poderosas do que as circunstâncias em que elas nasceram. Este é o impacto de Tuany.

Na Ponta dos Pés, mostra a história inspiradora de Tuany, uma dançarina de balé de 23 anos que começou uma companhia de dança para meninas no meio de uma das favelas mais perigosas do Rio de Janeiro, dando às alunas esperança de um futuro melhor e um espaço seguro longe do mundo violento ao seu redor. Tuany conta que se sentia muita velha para insistir na carreira de bailarina, mas decidiu continuar treinando próximo de sua casa. Sempre que treinava, meninas da comunidade do Morro do Adeus a observavam e a imitavam. Ela então decidiu ensinar balé para as meninas, enquanto treinava.

O projeto que começou tímido, com aulas numa quadra de esportes, hoje tem uma sede construída pelas próprias meninas (cada bloco tem o nome de uma delas e uma cartinha com seus sonhos), graças a um financiamento coletivo. Hoje, o local é o principal centro comunitário da Comunidade, não apenas com aulas de balé, mas também com distribuição de cestas básicas e outros serviços.

Parte das imagens mostradas no documentário são de 2016, quando a equipe do produtor Ryan Pallotta esteve no Rio de Janeiro e fez um curta sobre o projeto. Foram essas gravações que chamaram a atenção de Gal Gadot e Jaron Varsano a criar esta série documental. A equipe de Impact esteve com Tuany no final do ano passado e é incrível ver o quanto o projeto e as meninas mostradas cresceram.

Tuany já impactou mais de 550 meninas e suas famílias através da escola de balé. Agora, ela está introduzindo programas educacionais que oferecerão às futuras gerações de garotas novas oportunidades que quebrarão o ciclo de pobreza no qual elas nasceram.

O impacto de Tuany é dedicado a todas as meninas pelo mundo; vocês são mais capazes, talentosas, inteligentes e poderosas do que sabem.

O painel

Juju Chang, a moderadora do painel, frisou que Gal Gadot não apenas interpreta uma heroína nos filmes, mas também está sendo uma heroína da vida real, ao usar sua influência considerável para ajudar pessoas de verdade. A atriz contou o que a inspirou em iniciar este documentário e mostrar estas histórias. “Acredito muito em contar histórias e há alguns anos, após o sucesso de Mulher-Maravilha, a fama e tudo isso, me senti tão grata de ter um alcance a tantas pessoas, que queria fazer algo bom com isso. Queria trazer algo bom para o mundo onde eu não fosse a heroína, que não fosse sobre mim, mas que chamasse atenção para mulheres extraordinárias que fazem coisas extraordinárias. A primeira história que descobrimos, nos encontramos com Ryan Pallotta, que fez um filme sobre a Tuany e seu impacto incrível. Jaron e eu, meu parceiro, meu marido, nos apaixonamos completamente pela Tuany, pela sua determinação, liderança e tudo o que ela apoia e decidimos que construiríamos um conceito em torno disso. Nós colaboramos com a incrível Vanessa Roth e a National Geographic.

A diretora Vanessa Roth explica que com o formato curto dos documentários, eles esperam que eles sejam mais compartilhados, “É o formato perfeito para isso, pois em muitos dos casos, encontramos essas histórias pelas mídias sociais: Instagram, fotógrafos ou campanhas de financiamento coletivo, publicações locais (…). Faz muito sentido que ficamos impactados pelo o que vimos e, esperamos, virar isso e impactar pessoas compartilhando as histórias.

Juju Chang aponta uma similaridade entre a atriz Gal Gadot, Tuany Nascimento e Kameryn Everett: as três representam poder e força, como a Mulher-Maravilha, mas também beleza, graça e elegância, o que é muito feminino. Sobre como interpretar a Mulher-Maravilha se relacionar com o que essas mulheres maravilhosas estão fazendo, a atriz respondeu, “Eu realmente acredito que todos esses elementos são o que fazem elas serem essas mulheres maravilhosas. Tipo, você não precisa ser apenas uma coisa. Se você é mulher, não significa que você precisa ser, necessariamente, delicada e frágil. Não! Somos todo o tipo de coisa. E somos tudo. Elas são todas muito bonitas e inteligentes, fortes, atléticas. Elas são esse tipo de mulher cheia de faces e acho que elas são verdadeiros exemplos para mulheres reais pelo mundo. Não estamos no mundo de uma dimensão, onde as mulheres estão apenas esperando em casa, cuidando das crianças. As mulheres são um universo inteiro e sempre foram. E elas são as provas reais disso.

Sobre as histórias que sua produtora produzirá e como escolhe seus papeis, Gal Gadot disse, “Acho que o que nos motiva é, basicamente, contar histórias que nos deixam intrigados e que adoraríamos assistir. Cada história que estamos desenvolvendo é voltada para as mulheres, mas não só isso, há algum tipo de valor agregado nas personagens. Ou ela é uma inventora ou foi uma pioneira em um campo diferente… Esses são os tipos de histórias que me atraem e é muito simples, depois que você tem essa bússola e sabe exatamente para onde está indo, é muito fácil escolher.

A diretora Vanessa Roth disse que gravaram o documentário durante a pandemia, tomando todas as precauções, mas só foram até o ponto em que eles estavam confortáveis em ir e fosse seguro para todos os participantes, “Agora que penso nisso, fico feliz que o gravamos quando gravamos, pois mostra que a mesmo no meio da pandemia, a vida dessas mulheres ainda acontecia. Elas ainda estavam causando um impacto. A Tuany é um ótimo exemplo. A escola de balé dela começou como uma coisa e isso se tornou o centro da comunidade, se tornou o local onde as pessoas vão.

No final do painel e o momento mais surpreendente, foi quando a moderadora Juju Chung pediu para a Tuany falar da situação da pandemia no Brasil. A bailarina disse que no país também existe a questão política, junto à da pandemia, pois temos um líder que no início não entendia a gravidade do vírus. Ela disse que o terceiro setor, as ONGs, que acabaram ajudando as pessoas, pois “ficamos divididos entre morrer de COVID e morrer de fome“.

Gal Gadot finalizou, agradecendo as meninas por deixarem eles compartilharem suas histórias com o mundo, “Mal posso esperar para que o mundo leve vocês para o coração deles, assim como fizemos. Só quero dizer que fiquei muito inspirada com vocês, com como vocês pegaram seus desafios, suas lutas e ao invés de ficarem com pena de si mesmas, ficarem tristes ou bravas com isso, vocês a tornaram em uma ferramenta poderosa que impactou completamente a vida de outras pessoas. Portanto, obrigada por me inspirar, por afetar tantas pessoas em suas comunidades. Mal posso esperar para compartilhar as histórias de vocês com o mundo.

Gal Gadot estrelará e produzirá ‘Meet Me In Another Life’

O Deadline informou hoje que Gal Gadot e Jaron Varsano, através da Pilot Wave, e a Atlas Entertainment adquiriram os direitos do romance de estreia de Catriona Silvey, Meet Me in Another Life. A atriz também estrelará a adaptação.

O livro foi publicado ontem, 27 de abril, pela William Morrow e conta a história de um homem e mulher que devem descobrir porque eles ficam se encontrando em diferentes versões da realidade, uma inovadora, emocionante e criativa exploração das formas infinitas de amor e como as escolhas podem mudar tudo. Thora e Santi são estranhos em uma cidade estrangeira, quando um encontro ao acaso interliga o destino deles. Ao mesmo tempo, eles reconhecem um no outro uma alma gêmea, alguém que compartilha da curiosidade insaciável, que anseia mais da vida. Poucos dias depois, um trágico acidente encurta a história deles. Mas esta é apenas uma das muitas ligações que eles compartilham. Como satélites presos da órbita um do outro, Thora e Santi estão destinados a se conhecer novamente: como um professor e um aluno prodígio, um cuidador e um paciente nas últimas, um cínico e um crente. Em inúmeras vidas, eles se tornam amigos, colegas, amantes e inimigos. Mas à medida que lembranças falhas e padrões estranhos acontecem, Thora e Santi chegam a uma revelação chocante: eles devem descobrir a verdade de seu misterioso apego, antes que suas muitas vidas cheguem a um fim final.

Charles Roven (Mulher-Maravilha) e Richerd Suckle produzirão o filme pela Atlas Entertainment.

O romance espetacular de Catriona é provocativo, único e enormemente cinematográfico, ele combina perfeitamente uma história de amor atemporal, suspense e conto de ficção científica,” disseram Suckle e Roven, “Estamos incrivelmente entusiasmados em dar vida a essa história, especialmente com nossos parceiros Gal e Jaron.

Os personagens de Catriona são lindamente explorados e profundamente complexos, suas reencarnações, às vezes beirando o tabu, que a recompensa da autodescoberta deles parece genuína e merecida,” disseram Gadot e Varsano, “Estamos entusiasmados com a parceria de Chuck Roven e Richard Suckle para trazer essa história com muitas camadas para a telona.

Como escritora, sou muito inspirada pelas possibilidades de narrativa do filme,” disse Catriona Silvey. “Estou muito entusiasmada que uma equipe que se envolveu em alguns dos meus favoritos de todos estará dando ao meu livro uma vida totalmente nova em outro meio.

O livro será publicado no Reino Unido pela HarperVoyager em 8 de julho. Da página de Meet Me in Another Life na Amazon:

Alegre, devastador e profundo, Meet Me in Another Life é uma história de amor e conexão em todas as formas possíveis que cativará os fãs de Stuart Turton, Claire North e Audrey Niffenegger.

Thora e Santi se já conheceram antes…

Sob a torre do relógio no centro de Colônia, com nada, além das estrelas no alto e seus futuros pela frente.

Eles se encontrarão novamente…

Eles não sabem disso ainda, mas se encontrarão novamente: em várias vidas eles se tornarão amigos, colegas, amantes, inimigos, se encontrando repetidamente pela primeira vez, todas as vezes; cada um conhecendo cada versão do outro.

Só eles podem ter certeza de que não é pela última vez.

Mas à medida que eles são interminavelmente  atraídos um ao outro e as linhas de suas diferentes vidas começam a se confundir, eles se deparam com uma pergunta: por quê?

Eles devem descobrir a verdade de seu estranho apego antes que isso, e todas as suas vidas, sejam perdidas para sempre.

O livro ainda não tem tradução em português.

Gal Gadot fala sobre sua terceira gravidez, ‘Impact’ e Mulher-Maravilha no Jimmy Kimmel Live

Na noite de ontem (22), Gal Gadot compareceu no programa de entrevistas noturno da ABC Jimmy Kimmel Live. O principal objetivo da entrevista feita por vídeo-chamada foi divulgar sua nova série documental, Impact with Gal Gadot, que estreia na próxima segunda-feira (26), no Youtube da National Geographic.

A atriz também falou da sua gravidez e comparilhou como contou para as filhas Alma, de 9 anos, e Maya, de 4, que elas ganhariam uma irmãzinha.

Além disso, a atriz falou sobre o que tem feito durante seu período de isolamento social e contou como acabou cortando o dedo, enquanto fazia salada de repolho.

Para divulgar a série da National Geographic, um breve vídeo do episódio Na Ponta dos Pés foi exibido e a atriz e produtora explicou o processo de criação da série.

Ao final da entrevista, Gal Gadot nos mostrou o que guardou do set de Mulher-Maravilha 1984.

Confira a entrevista na íntegra e legendada a seguir.

 

Temporada de premiações: indicações de Gal Gadot e MM84

A temporada de premiações de 2021 já começou e Gal GadotMulher-Maravilha 1984 já receberam suas primeiras indicações.

Nesta publicação, colocaremos todas as indicações, como e onde votar, como assistir a premiação e o resultado delas. Volte em breve, pois atualizaremos esta publicação constantemente!

Premiação: Hollywood Critics Association 2021

Quando: 05 de março
Como assistir: Transmissão ao vivo pelo Youtube e Facebook
Indicações
Melhor Blockbuster: Mulher-Maravilha 1984, concorrendo com Aves de Rapina, The Old Guard, Tenet Sonic: O Filme. Prêmio foi para Aves de Rapina.
Melhor Elenco de Dublês: Mulher-Maravilha 1984, concorrendo com Aves de Rapina, The Old Guard, Tenet e Resgate. Prêmio foi para Aves de Rapina.

Premiação: Kids’ Choice Awards

Quando: 13 de março
Como assistir: Transmissão simultânea na Nickelodeon, TeenNick, Nicktoons e Nick Jr. às 21h30 (Brasília).
Indicações
Melhor Atriz de Filme: Gal Gadot, concorrendo com Millie Bobby Brown (Enola Holmes, Enola Holmes), Anne Hathaway (Grand High Witch, Convenção das Bruxas) , Vanessa Hudgens (Princesas, A Princesa e a Plebeia: Nova Aventura), Yifei Liu (Mulan, Mulan) e Melissa McCarthy (Carol Peters, Superinteligência). Prêmio foi para a atriz Millie Bobby Brown.
Filme Preferido: Mulher-Maravilha 1984, concorrendo com Dolittle, Hamilton, O Halloween de Hubie, MulanSonic: O Filme. GANHOU

VOTE AQUI

Make-Up Artists and Hair Stylists Guild

Quando: 3 de abril
Como assistir: A cerimônia será virtual, porém para assisti-la é necessário adquirir um ingresso.
Indicações
Melhor Efeito Especial de Maquiagem: Bill & Ted: Encare a Música, Bill Corso, Kevin YagherSteve WangStephen Kelley; Era Uma Vez um Sonho, Eryn Krueger Mekash, Matthew MungleJamie Hess; Mulan, Denise Kum, Chris Fitzpatrick; Pinóquio, Mark Coulier; The United States vs. Billie Holiday, Adrian Morot; Mulhr-Maravilha 1984, Jan Sewell, Mark Coulier.

MTV Movie & TV Awards 2021

Quando: 16 de maio
Como assistir: Ainda não há informação sobre sua exibição, mas é muito possível que a premiação seja exibida pela MTV Brasil.
Indicações
Melhor Herói: Anthony Mackie (Falcão e o Soldado Invernal), Gal Gadot (Mulher-Maravilha 1984), Jack Quaid (The Boys), Pedro Pascal (The Mandalorian), Teyonah Parris (WandaVision).
Melhor Luta: Aves de Rapina – Luta final; Cobra Kai – Luta final da casa; The Boys – Starlight, Rainha Maeve, Kimiko contra Stormfront; WandaVision – Wanda contra Agatha; Liga da Justiça de Zack Snyder – luta final contra Lobo da Estepe.

VOTE AQUI [até 30 de abril]

 

Mulher-Maravilha 1984 também aparece nas categorias de pré-indicados ao BAFTA 2021 de Maquiagem e Cabelo, Design de Produção, Efeitos Visuais Especiais e Som. A lista de indicados finais será divulgada em 9 de março.