O elenco e a diretora de Mulher-Maravilha 1984 compareceram virtualmente num especial da SiriusXM Town Hall, apresentado por Jess Cagle.

As estrelas Gal Gadot, Kristen Wiig e Pedro Pascal foram acompanhados da diretora Patty Jenkins para discutir o filme que foi lançado no Brasil em 17 de dezembro e nos Estados Unidos, ontem (25).

É interessante. Se você tivesse me dito um ano atrás que iríamos direto para o streaming de alguma jeito ou forma, eu teria pirado. Tipo, eu não fosse a favor desse plano no geral, sabe, sou muito a favor do lançamento nos cinemas e serei novamente, assim que isso tudo acabar, no entanto, este é um ano tão louco. É um ano tão doido“, disse Jenkins.

É como se todos nós estivéssemos tentando descobrir com as nossas vidas, como fazer tudo da melhor maneira possível. Por isso, continuei dizendo que não existe uma boa opção“, ela acrescentou. “Tipo, quando falávamos sobre isso, não havia uma boa opção. Esperar até quando? Daí todos os filmes do mundo serão lançados ao mesmo tempo. E sabe, não havia uma boa opção. Eu literalmente engasguei um pouco quando essa ideia surgiu, porque eu fiquei tipo, ‘Oh, a ideia de ele estar na casa das pessoas no dia de Natal’“.

No fim das contas, Jenkins admitiu estar feliz que o filme finalmente será exibido, embora mais de seis meses após a sua data original de estreia.

Faço filmes por causa da comunhão com o público. Essa é a questão, sabe?” disse Jenkins. “Estou tão, tão, tão, tão, tão animada que as pessoas verão o nosso filme, do jeito que for, quando for, mas eu imploro que eles escolham a maior tela que puderem encontrar, por favor!

Pedro Pascal, ao falar de seu personagem, comentou as comparações de seu vilão Max Lord e o Presidente estadunidense Donald Trump.

Serei totalmente franco com você, quando comecei a falar com a Patty sobre isso, eu fiquei tipo, ‘Estamos fazendo Gordon Gekko, certo. Sabe, tipo, esse é o Gordon Gekko’, e ela ficou tipo, ‘Não é um presidente, não é nenhuma coisa, sabe.’

Além disso, Gadot discutiu como Brooke Shields influenciou o guarda-roupa de sua personagem nos anos 1980 e o quanto Diana Prince mudou, desde o primeiro filme, entre as décadas que se passaram.

Acho que no primeiro filme, mostramos o nascimento de uma heroína, Diana Prince descobrindo todos os seus poderes e se tornando a Mulher-Maravilha“, explicou Gadot.

E daí ela começa aprender sobre a humanidade e era o peixe fora d’água. Era ela que ficava de olhos arregalados que não entendia muito. Mas quando você a vê agora, neste filme, ela está por aí há mais de 60 anos, ela entende completamente as complexidades da humanidade. E agora ela meio que compartilha a perspectiva deles de certa forma e sofre de problemas semelhantes“, acrescentou Gadot.

Acho que ela é muito solitária, porque ela não quer se envolver com pessoas novas. Ela perdeu todos os seus amigos do primeiro filme, só porque ela é imortal e todos eles morreram e ela não quer experimentar a perda novamente. Então ela é muito, muito solitária e está sozinha e está aqui para uma única missão, que é ajudar a humanidade a ser melhor.