Gal Gadot participa de coletiva de imprensa de ‘Mulher-Maravilha 1984’ no Brasil

CoppermineSC database error: [Unknown storage engine 'InnoDB']
SELECT value FROM cpg_config WHERE name="ecards_more_pic_target" OR name="fullpath"

CoppermineSC database error: [Unknown storage engine 'InnoDB']
SELECT filepath, filename, title, pid FROM cpg_pictures WHERE aid=792 ORDER BY RAND( ) LIMIT 4

CoppermineSC database error: [Unknown storage engine 'InnoDB']
SELECT value FROM cpg_config WHERE name="ecards_more_pic_target" OR name="fullpath"

CoppermineSC database error: [Unknown storage engine 'InnoDB']
SELECT filepath, filename, title, pid FROM cpg_pictures WHERE aid=795 ORDER BY RAND( ) LIMIT 4

No último domingo (8), a atriz Gal Gadot e a diretora Patty Jenkins participaram de uma coletiva de imprensa no Hotel Palácio Tangará, no bairro do Panamby, na zona sul de São Paulo, para iniciar a divulgação de Mulher-Maravilha 1984.

Em um bate papo animado, as duas falaram sobre a responsabilidade de fazer um filme tão bom quanto o primeiro e como algumas das histórias vistas na continuação já estavam na cabeça da diretora, enquanto elas gravavam o primeiro filme, Mulher-Maravilha.

Patty Jenkins e Gal Gadot na coletiva de imprensa de "Mulher-Maravilha 1984", em São Paulo.

Patty Jenkins e Gal Gadot na coletiva de imprensa de “Mulher-Maravilha 1984”, em São Paulo.

Para a trama do novo longa da heroína, a diretora Patty Jekins disse que eles não seguiram uma história em específico, mas utilizaram muito material de George Pérez e outros pedaços de histórias por aí, “Todos os personagens [inseridos neste filme] são clássicos deste mundo, Maxwell Lord (Pedro Pascal), Barbara Minerva (Kristen Wiig)” Patty Jenkins também afirmou que a ideia de trazer Steve Trevor de volta estava presente desde o primeiro filme e não se deu por conta das críticas positivas à dinâmica de Chris Pine e Gal Gadot na telona.

Para aqueles que aguardam uma sequência tão emocionante quanto a da “Terra de Ninguém”, vista no longa de 2017, Gal Gadot afirmou que uma das cenas a levou às lagrimas, “Sou uma mulher muito independente e sempre fui. Quando comecei a carreira dizia que queria interpretar uma mulher real, independente e forte. Quando assisti pela primeira vez Mulher-Maravilha 1984 e vi uma bela sequência que eu não posso contar como é, comecei a chorar. Nunca tinha visto uma mulher fazer aquilo. Fiquei tão emocionada. Cheguei em casa e falei para meu marido que não sabia se ele iria se emocionar tanto quanto me emocionei porque para ele, enquanto homem, era algo mais comum. É muito importante ver uma garota fazendo coisas incríveis. Estou muito feliz por fazer parte desse projeto maravilhoso.

Embora esta cena tenha sido especial para Gal Gadot por ser uma mulher, a diretora Patty Jenkins afirma que o filme – ou os super-heróis – não são exclusivos apenas para os homens ou para as mulheres, “O que a Mulher-Maravilha fez para mim, quando eu era pequena, ela defendia e lutava pelas mulheres, mas ela também lutava pelo mundo, assim como o Superman. Ela é uma super-heroína completa. Ela não defende apenas as mulheres.

Diferente do primeiro filme em que Diana Prince se torna de fato a Mulher-Maravilha apenas no final da história, neste, ela evoluiu e está empenhada a ajudar o mundo dos homens. “Realmente é o que a Mulher-Maravilha falou no final do primeiro filme, ela vai ficar aqui e lutar pela humanidade,” afirmou a diretora. No entanto, ela trabalha escondida e está solitária, pois perdeu todos os seus amigos. “Como fã da Mulher-Maravilha, eu queria ver ela sendo a Mulher-Maravilha, porque ela só se torna a heroína no fim do primeiro filme. Este tem muito em comum com o primeiro filme, mas realmente a época da Primeira Guerra Mundial era mais pesada. Foi divertido fazer este novo filme e andar pelo mundo moderno com a Mulher-Maravilha e com o Steve,” continuou Patty.

Inicio » Eventos & Aparições Públicas | Events & Public Appearances » 2019 » 12.08 | Coletiva de imprensa de “Mulher-Maravilha 1984” em São Paulo, Brasil

Quando pedida que deixasse uma mensagem para as garotas, a protagonista não hesitou: “Diria, primeiramente, para elas acreditarem em si mesmas e não desistirem dos seus sonhos, mesmo quando as pessoas te dizem o contrário. As encorajaria a se rodear de modelos bons e fortes. E também as encorajaria a não desistir, a fazer o trabalho, pois isso leva tempo e é necessário ser muito consistente com isso… E ser positiva. Para mim, como aconteceu… Acho que eu trabalho duro e também tive sorte, mas nunca deixei de acreditar e sou super otimista. Eu acredito muito em carma, acredito que se você fizer o bem, ele retorna para você e tal. E não é por causa disso que eu faço o bem, mas eu acredito neste carma. E acho que é assim que acontece, acredite em si mesmo e seja forte.

Sobre as mudanças no traje da heroína, Gal Gadot disse que desta vez a Mulher-Maravilha não usa mais sua espada e seu escudo, “A Mulher-Maravilha não carrega uma arma, tínhamos a intenção de deixar a espada para trás, pois era algo muito agressivo. Se você tem uma espada, você tem que usá-la, então a gente quis se desfazer dela. Sentimos que o escudo também não era necessário. Ela é uma Deusa, ela pode lutar, é super forte e tem habilidades, então…

Por fim, a diretora falou sobre o desenvolvimento de um projeto centrado nas guerreiras Amazonas, no entanto nem Patty Jenkins ou Gal Gadot estariam ligadas diretamente a ele. O nome delas apareceria apenas na produção do longa.

Confira partes da coletiva de imprensa legendada pelo blog Mulher no Cinema.

Ao final da coletiva de imprensa, Gal Gadot e Patty Jenkins participaram de uma sessão de fotos no jardim do hotel.

Inicio » Eventos & Aparições Públicas | Events & Public Appearances » 2019 » 12.08 | Photocall de “Mulher-Maravilha 1984” em São Paulo, Brasil