Em entrevista para o Collider, na última semana, o produtor de Mulher-Maravilha 1984 Charles Roven explicou o motivo pelo qual a Warner Bros. decidiu adiar o lançamento do segundo longa da super-heroína.

Sempre quisemos a data em que estamos agora. O estúdio achou que até que a agenda do ano anterior desse certo, e eles tiveram um incrível final de 2018, eles precisavam ter um grande filme [em 2019]. Tivemos uma pré-produção corrida, pois a Patty também fez a série da TNT e tivemos uma agenda de pós-produção corrida, para cumprir a data que tínhamos, que era 1 de novembro de 2019. Estávamos fazendo isso porque o estúdio realmente precisava, mas aí, em um certo momento, eles vieram até nós e disseram, ‘Quer saber, vocês estão certos. Vamos voltar ao mês que vocês lançaram Mulher-Maravilha e ter esse tempo extra.’“, revelou o produtor.

A fala do produtor casa com a de Gal Gadot, quando ela anunciou a mudança da data de estreia do filme, em outubro do ano passado, através de suas redes sociais. “Super animada para anunciar que, devido a mudanças no cenário, podemos devolver Mulher-Maravilha 1984 para a sua casa de direito. Esteja lá ou seja careta.

Além de Gal Gadot, o filme conta com o retorno de Chris Pine (Steve Trevor) e Patty Jenkins, que além de dirigi-lo, trabalhou o roteiro ao lado de Dave Callaham (Os Mercenários). Kristen Wiig (Missão Marinha de Casamento) e Pedro Pascal (Game of Thrones) também fazem parte do elenco.

Em 2020, veremos Gal Gadot no cinema com Mulher-Maravilha 1984Red Notice e Morte no Nilo.