Gal Gadot e Chris Pine então na edição de 12 de junho da revista norte-americana People.

Entrevistados por Mia McNiece e fotografados por Eric Charbonneau durante a estreia de Mulher-Maravilha, em Los Angeles, os atores que interpretam o casal Diana Prince e Steve Trevor falaram sobre flertar, congelar e estrelar em um sucesso de bilheteria dominado por mulheres. Confira.

Conversa em dobro: Gal Gadot & Chris Pine

É um pouquinho estressante entrar no traje coberto de estrelas da super-heroína mais popular de todas. “Esta personagem é tão grande e as expectativas que todos os fãs têm para isso são enormes,” diz a estrela de Mulher-Maravilha de 32 anos, uma atriz israelense e mãe de duas meninas. Enquanto isso, seu colega Chris Pine, que interpreta o interesse amoroso dela, o piloto militar Steve Trevor, brinca que ele teve um papel bem mais fácil. “Basicamente, meu papel era me apaixonar pela linda Gal e tentar fazer ela rir,” diz o ator de 36 anos. Conforme o filme cheio de ação chega aos cinemas, a dupla sentou-se com a People para falar sobre o papel dos sonhos deles.

Gal é esse espírito lindo e positivo,” diz Chris Pine, sobre sua colega de elenco.

Quando vocês conheceram a Mulher-Maravilha pela primeira vez, nas histórias em quadrinhos ou na TV?
Pine:
Minha primeira experiência foi com a Lynda Carter [na série dos anos 70]. Ela, junto com a Sha-Ra, foram as minhas duas primeiras crushes, mulheres poderosas de saias.
Gadot: Homens, isso é tão típico! Eu era muito nova para a série de TV. Mas Lynda Carter, eu tenho uma crush nela.

O que você mais gosta nesses personagens?
Gadot: Ela é uma personagem tão emblemática e forte. Eu adoro ela e tudo o que ela representa: amor, compaixão, aceitação e verdade. Acho que esses valores são tão importantes, especialmente hoje em dia, com tudo o que está acontecendo no mundo.
Pine: Eu interpreto um piloto americano que é um espião. Digo, isso é como um sonho de garoto. Ou você é um espião ou um piloto de caça. A primeira coisa que eu quis ser na vida foi piloto de caça. Eu queria ser o Goose [de Top Gun].

Dupla dinâmica: “Foi uma grande aventura para nós dois,” diz Gadot, cuja personagem se transforma da Princesa Amazona Diana para a Mulher-Maravilha.

Patty Jenkins dirigiu e várias atrizes notáveis estão no filme. Como foi estar em um set tão dominado por mulheres?
Pine:
Estávamos gravando em uma praia, na Itália, com Robin Wright e Connie Nielsen que são apenas lindas mulheres. Todos os maridos apareciam com as crianças para dar apoio às suas esposas. Eu achei que foi uma ótima virada nos papéis. Todos os maridos sentados atrás dos monitores e brincando com as crianças. O marido da Gal, Yaron [Varsano], estava lá e ele não podia estar mais feliz pela esposa dele e ele a apoiou muito.
Gadot: Foi uma vibe tipo da nova era. As mulheres estavam trabalhando e os homens estavam andando por aí com carrinhos de bebês. Pareceu um grande kibutz.

Gal, como foi colocar o traje pela primeira vez?
Gadot:
Eu adoro o traje! É como se fosse o meu pijama, agora. Eu posso dormir vestindo ele.
Pine: Deixe me dizer que Gal, para o crédito dela, estava congelando. Houve um dia em que basicamente choveu granizo e lá estava Gal, com suas pernas longas, vestindo nada, sem reclamar.
Gadot: Porque eu não podia falar. Eu perdi minha voz. Acho que eu estava passando por hipotermia.

Há algum super-poder que vocês gostariam de ter?
Gadot:
Sim, eu gostaria de curar as pessoas. Sua vez.
Pine: Eu meio que gosto de ser mortal. Apenas ser um cara burro.
Gadot: Você não é burro! Eu não poderia pedir por um parceiro melhor para contracenar. E me fazer rir.

A matéria original está em nossa galeria.

Inicio » Revistas | Magazines » 2017 » Junho | People Magazine