Na tarde de segunda-feira (26), a Nickelodeon divulgou os indicados ao Kids’ Choice Awards 2018, a premiação do canal que é voltada para o público mirim. Apesar de ter sido esquecida de outras premiações, Gal Gadot e Mulher-Maravilha apareceram na lista dos indicados, bem como Ben Affleck (Ator Favorito) seu colega de elenco em Liga da Justiça.

As votações para as categorias de cinema foram iniciadas ontem. Gal Gadot e Mulher-Maravilha concorrem nas seguintes categorias:

Filme Favorito
A Bela e a Fera
Guardiões da Galáxia Vol. 2
Jumanji: Bem-Vindo à Selva
A Escolha Perfeita 3
Homem-Aranha: De Volta ao Lar
Star Wars: Os Últimos Jedi
O Rei do Show
Mulher-Maravilha

Atriz Favorita
Anna Kendrick (A Escolha Perfeita 3)
Daisy Ridley (Star Wars: Os Últimos Jedi)
Emma Watson (A Bela e a Fera)
Gal Gadot (Mulher-Maravilha/Liga da Justiça)
Zendaya (O Rei do Show/Homem-Aranha: De Volta ao Lar)
Zoe Saldana (Guardiões da Galáxia Vol. 2)

Como votar

A votação acontece via twitter, seguindo as seguintes regras:

  • O máximo de votos é 1 por categoria por dia;
  • Todas as contas do twitter devem ser públicas e ter mais de 10 seguidores;
  • Os retuítes contam como votos válidos.

Para votar em Mulher-Maravilha na categoria Filme Favorito, seu tuíte deve conter as seguintes palavras: #KCA #FavMovieWonderWoman.

Para votar em Gal Gadot na categoria Atriz Favorita o seu tuíte deve conter as seguintes palavras: #KCA #FavMovieActressGalGadot

Gal Gadot agradeceu a indicação em seu twitter, “É muito, muito incrível ser indicada a dois Kids’ Choice Awards. Obrigada!

A premiação acontece em 24 de março, com apresentação de John Cena, às 21h de Brasília.

Gal Gadot e Patty Jenkins não estão muito abaladas com o esquecimento de Mulher-Maravilha nas indicações ao Oscar.

De acordo com a publicação da atriz em sua conta do Instagram, ela e a equipe do filme já são sortudos o bastante por terem trabalhados com Patty Jenkins.

Tenho que dar essa publicação de sexta-feira-da-cineasta para a incrível Patty Jenkins. Há tanta coisa a se dizer sobre essa mulher incrível. Ela não é apenas uma cineasta admirável, mas ela é uma líder maravilhosa e não tem medo de (literalmente) entrar nas trincheiras. Sou sortuda de chamar ela de colaboradora, amiga e irmã no cinema.

Patty Jenkins retribuiu o amor da atriz no Twitter e disse que não vê a hora de se unir a Gal Gadot novamente.

Oh, minha querida colaboradora, amiga, irmã e verdadeira parceira. Muito obrigada! Trabalhar com você e ver as suas habilidades, bravura e amor todos os dias é o ponto alto da minha vida e mal posso esperar para mais [disso] todos os dias.

Mulher-Maravilha 2 começam as gravações em meados de 2018. O filme estreia em 1 de novembro de 2019.

Em uma matéria sobre o treinamento de Alicia Vikander para viver Lara Croft no remake de Tomb Raider, o USA Today informou que Gal Gadot trabalhará com Magnus Lygdback para se preparar para as gravações de Mulher-Maravilha 2.

Lygdback é conhecido por ter treinado Alicia Vikander para o papel em Tomb Raider, ajudado a atriz a ganhar 5 quilos de massa muscular e construir o corpo de uma heroína de filme de ação.

Gal Gadot deve iniciar os treinamentos em breve, já que Mulher-Maravilha 2 inicia as gravações em junho deste ano, em Londres, novamente nos estúdios de Leavesden da Warner Bros, de acordo com o Omega Underground. Cenas externas também são esperadas.

Nos filmes anteriores, Gal Gadot trabalhou com o treinador Mark Twight, treinador de Zack Snyder.

Mulher-Maravilha 2 chega aos cinemas em 1 de novembro de 2019.

Gal Gadot publicou em suas redes sociais que dublará ela mesma em um episódio futuro de Os Simpsons.

Eu cresci assistindo Os Simpsons e agora eu posso me dublar em um episódio! 😱😜 Fiquem ligados…” a atriz escreveu em uma publicação acompanhada de um vídeo autografando o cabelo de Marge Simpson.

O episódio de Os Simpsons que Gal Gadot participará será o episódio “Bart’s Not Dead” (“O Bart Não Está Morto”), parte da trigésima temporada da série que estreará em outubro desse ano.

Vale lembrar que durante o seu painel da Rhode Island Comic Con de 2016 a atriz mirim Millie Bobby Brown perguntou a Gal Gadot qual era a série preferida dela. A resposta foi: “Os Simpsons conta?

Como Gal Gadot mesma disse, fiquem de olho, pois informaremos qualquer novidade sobre a participação de Gal Gadot em Os Simpsons aqui no site e em nossas redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter).

Com informações do The Wrap.

A atriz e modelo Gal Gadot é uma das milhões de pessoas a participarem da campanha GirlsCount da organização ONE.

A campanha busca aumentar a conscientização e a ação política quanto a educação de meninas em países pobres. No momento, são 130 milhões de meninas ao redor do mundo que estão privadas de educação, perdendo assim a chance de atingir o seu potencial total.

O objetivo da campanha é que cada pessoa leia um número em vídeo ou envie uma imagem com o número escolhido. Qualquer pessoa pode escolher um número no site da campanha.

Em sua mensagem, Gal Gadot diz que é importante educar essas meninas, pois elas merecem ter a chance de ser o que quer que elas sonhem e convida todos se unirem ao projeto.

Estou contando o número 21.312 em solidariedade as 130 milhões de meninas que estão fora da escola hoje. A minha mensagem para cada uma de vocês é que vocês merecem a chance de se tornarem quem e o que quer que vocês sonhem. Por favor, unam-se a mim em apoiar essas garotas, indo ao one.org/girlscount agora mesmo para entrar na contagem.

Além de Gal Gadot, participam da campanha Malala Yousafzai (número 1), Millie Bobbie Brown (111.011), Kate Walsh (600.088), Robin Wright (130 milhões), entre outras.

Faça parte do GirlsCount

  • Para se juntar a campanha, basta acessar o site GirlsCount, rolar a tela até o final e, quando o menu superior aparecer, clicar em “Available”;
  • Entre os números disponíveis, escolha o seu preferido;
  • Tire uma foto com o número escolhido ou faça um vídeo falando o seu número;
  • Em seguida, envie a foto ou vídeo para o site. Não se esqueça de escolher em qual idioma você falou o número (há a opção de português);
  • Pronto!

Sobre o GirlsCount

130 milhões de garotas estão fora da escola. Então, estamos pedindo que o mundo conte elas e desejamos que os nossos líderes ajam.

No momento, 130 milhões de garotas pelo mundo estão sendo privadas de educação e, por causa disso, a chance de alcançar o potencial completo delas.

Eduque uma garota em um dos países mais pobres e isso impulsionará a sua saúde, riqueza e habilidade para assumir o controle da vida dela. É menos provável que ela se torne uma noiva infantil, passe por violência ou contrai HIV. Mas isso não acaba aí. Ela terá filhos mais saudáveis e mais educados. E ela pode ajudar a tirar a família dela, e o país todo, da pobreza.

Os nossos líderes podem se assegurar que todas as garotas tenham uma educação, mas precisamos pressioná-los a agir. Então, pedimos que vocês nos ajudem a contar cada menina em voz alta.

Entregaremos essa mensagem diretamente para as pessoas no poder que podem mudar o futuro dessas meninas. A sua contagem se juntará a outras, enquanto tentamos fazer o vídeo mais longo do mundo. Se conseguirmos chegar em 130 milhões, levará mais de 8 anos para assisti-lo. Isso é algo que eles não podem ignorar.

Vamos nos assegurar que nenhuma garota tenha que esperar tudo isso para aprender.

Escolha o seu número. Junte-se a contagem. Pois uma garota com educação é uma garota que pode mudar o mundo.

Durante o evento de lançamento da nova campanha da Revlon, Live Boldly, Gal Gadot compartilhou alguns segredos de beleza ao E!, no tapete vermelho, falou sobre as indicações ao Oscar e a importância da Marcha das Mulheres.

O que descobrimos foi que Gal Gadot ganhou na loteria genética. Ao ser questionada sobre os seus segredos para uma pele bonita, Gal Gadot contou: “Eu bebo muita água. E é genética também.

Além disso, a atriz compartilhou um segredo para os que não tiveram tanta sorte com a genética, “Me asseguro de limpar a minha pele todos os dias e não existe um cenário onde eu vou para a cama com maquiagem. E hidratação, eu uso muitos cremes.

Cuidados com a pele consistente com certeza será uma dica que a atriz e modelo compartilhará com as suas filhas, já que a sua mais velha já está fuçando pela coleção da mãe, “como se fosse uma gaveta de doces,” ela disse. “Eu apenas quero que elas tenham uma excelente autoestima, amem a si mesmas, sejam fisicamente e mentalmente saudáveis, o resto é lucro.

Ao ET Canada, Gal Gadot disse que ficou emocionada com as mensagens recebidas dos fãs com a não indicação de Mulher-Maravilha ao Oscar, mas explicou que o filme nunca foi feito com esse intuito. “Honestamente, nunca fizemos esse filme pelo Oscar. Esse não era o nosso objetivo. O nosso objetivo era fazer um filme que as pessoas gostassem, aproveitassem e se inspirassem. Não dá para se ter tudo.

A atriz também informou que não pode contar nada sobre a sequência do filme da super-heroína.

 

Ela também contou ao ET Canada que sua filha mais velha brinca com as bonecas da Mulher-Maravilha, não bonecas dela, “Eu separo completamente. Nós a chamamos de Diana. Apesar de que o moço é o Chris Pine, não Steve Trevor. É engraçado…

Ao Extra, a atriz contou que essa era uma noite maravilhosa e também comentou sobre o esquecimento de Mulher-Maravilha nas indicações ao Oscar.

Em seguida, a atriz e modelo falou da importância da Marcha das Mulheres que havia acontecido no fim de semana anterior ao evento, “Estamos em uma era muito, muito importante, interessante e empoderadora para as mulheres. Estamos nessa mudança cultural incrível… E, honestamente, acho que todo o mundo entende o poder da igualdade e como as coisas realmente deveriam ser, então isso é ótimo e estou celebrando isso.

A estrela de Mulher-Maravilha também falou sobre a sua capa na revista Vanity Fair e como ela ficou deslumbrada ao conhecer a fotógrafa Annie Leibovitz.

Ao final da entrevista, Gal Gadot elogiou Ashley Graham, sua colega de campanha da Revlon, “Acho que ela é linda e muito, muito inteligente. Acho que o trabalhado que ela está fazendo abrindo caminho para as pessoas aceitarem as mulheres de todos os diferentes tamanhos é magnífico e é assim que deveria ser.

A Gloriosa Gal

Em entrevista a Pirelli.com, Gal Gadot fala sobre seu maior filme, Mulher-Maravilha, sua vida pessoal, sua carreira e seu último filme, Liga da Justiça.

Gal Gadot não poderia ter encontrado um papel melhor do que o de Diana Prince, também conhecida por Mulher-Maravilha. Este papel se adequava tanto ao seu espirito feminista quanto ao seu passado de artista marcial e ex-treinadora de ginástica do exército de Israel. O filme repleto de ação acabou sendo o sucesso do verão, superando até as mais otimistas expectativas da indústria e arrecadando mais de US$ 800 milhões na bilheteria mundial.

Isso não só foi um resultado notável para uma heroína de história em quadrinhos, mas também deu à Gadot a sua própria franquia de filmes solo, quando a Warner Bros/DC Entreteniment confirmou que uma sequência começaria a ser gravada em meados de 2018. Uma recompensa adequada à atuação aclamada pela crítica de Gadot como a melhor guerreira da tela.

Gadot retornou a ação novamente como Mulher-Maravilha em Liga da Justiça, onde ela se junta ao Batman de Ben Affleck em uma batalha para salvar a Terra de um novo inimigo catastrófico. Precisando de toda a ajuda possível, a dupla recrutará outros super-heróis: Aquaman (Jason Momoa), Cyborg (Ray Fisher), Flash (Ezra Miller) e outros, para enfrentar essa ameaça sem precedentes. Dirigido por Zack Snyder, o elenco inclui Henry Cavill (Superman), Amy Adams (Lois Lane), Jeremy Irons (Alfred), Jesse Eisenberg (Lex Luthor) e JK Simmons (Comissário Gordon).

Pessoalmente, Gadot é extrovertida e exuberante. Ela ri facilmente, raramente deixa de sorrir e ainda parece estar deslumbrada com toda a atenção que vem com o seu surgimento como uma grande estrela de cinema.

A jovem de 32 anos ainda faz de Tel Aviv a sua principal casa que ela compartilha com o empresário Jaron Varsano e suas duas filhas, Alma, de seis anos, e Maya, que nasceu em março de 2017. Além de Mulher-Maravilha, Gadot é uma das principais atrizes dos filmes imensamente populares de Velozes e Furiosos (o último deles, Velozes & Furiosos 8, é o oitavo da franquia e o de maior sucesso de todos).

Simplificando, a estrela de Gadot nunca esteve tão brilhante.

P: O que há em interpretar a Mulher-Maravilha que é mais importante para você em termos de criar uma impressão distinta com o público?
G: Além do elemento de ação nela, era realmente fundamental mostrar o coração do personagem e ter um tom emocional muito específico. Para mim, era realmente crucial que todos pudessem se identificar com a Mulher-Maravilha. No final das contas, ela é uma deusa e como conseguimos nos identificar com esse ser como esse? Mas acho que fomos capazes de mostrar ao público que ela é uma personagem multifacetada e uma poderosa guerreira que tem imperfeições dela e pode ser vulnerável e confusa. O fato de que ela não tem medo de mostrar as suas falhas é o que a torna tão especial.

P: Como você adaptou a sua própria personalidade a Diana/Mulher-Maravilha?
G: Eu queria dar a ela certa quantidade de inocência, não que fosse uma fraqueza, mas mostrar como ela não é uma mera guerreira fria e determinada. Eu não queria que ela fosse uma personagem assustadora, mas que fosse alguém com quem as pessoas pudessem se identificar. Então, agora as pessoas poderão se identificar melhor com ela e é sempre mais interessante seguir uma história na qual o público pode se dedicar de forma mais pessoal e emocional a uma personagem. Estou muito emocionada e grata pela forma como as pessoas me receberam.

P: O que fez Mulher-Maravilha especial para você?
G: É a primeira vez que eu gravei um mega filme que ao mesmo tempo pareceu tão pequeno e íntimo. Acho que tivemos tanta sorte de ter uma química tão ótima entre nós, com cada um de nós e com a Patty Jenkins [a diretora]. Certamente, tivemos desafios ao gravar o filme, como quando você grava em locação em Londres, no meio do inverno, e você tem um dia muito curto e precisa fazer dar certo. Mas tudo foi fácil de superar, porque tínhamos uns aos outros como apoio.

P: Como foi trabalhar com a diretora de Mulher-Maravilha, Patty Jenkins?
G: Primeiro de tudo, eu diria que Patty foi a pessoa certa para esse trabalho, para dirigir esse filme. Sendo mulher ou não, ela tinha todas as habilidades e qualidades que esse filme precisava. Mas definitivamente há uma diferença em trabalhar com uma diretora que já foi uma menina jovem e inocente, cresceu e entendeu que o mundo é um lugar complicado. Tudo isso me ajudou a passar por essa jornada com ela. Patty é uma diretora tão talentosa, tão inteligente e tão apaixonada. Ela mergulhou com a gente em cada cena. Fizemos inúmeras tomadas até termos a perfeita, a mágica. Ela é tão perfeccionista que nunca parava até que ficasse perfeito e isso nos fez trabalhar ainda mais, fez com que todos quiséssemos ser o melhor para ela, sabendo quem ela é.

P: Como você fez a personagem ser sua?
G: Acho que, como atriz, eu me trago para todas as personagens que interpreto. Eu me sinto muito próxima a Diana, a Mulher-Maravilha. É a primeira vez que retratei uma personagem que é tão boa, pura e positiva, e isso é muito inspirador para mim como pessoa e como atriz. Eu venho de uma criação muito segura e protegida e tive uma infância muito normal. Eu era muito protegida. Não estou dizendo que eu passei por uma jornada similar a da Mulher-Maravilha, mas estou dizendo que, como menina, eu cresci e me tornei uma pessoa mais complicada. Eu amo a história dela e adoro o fato de que isso acontece depois, pois geralmente você cresce lentamente ao longo dos anos. Para Diana [Prince], ela era muito ingênua e inocente por tanto tempo e, de repente, ela se foi levada a um cenário que a fez entender o mundo melhor, e então ela cresceu.

P: Mas como você a fez ser a sua própria personagem, em comparação com a Mulher-Maravilha de Lynda Carter?
G: Para ser completamente honesta com você, não pensei em como torná-la minha. O que me impulsiona como atriz é: como eu conto a história dela da maneira mais interessante e original e como faço o melhor que posso. Foi nisso que me concentrei. Como faço com que ela seja compreensível e acessível para as pessoas. É muito difícil se identificar com uma deusa, então eu estava procurando por suas frações de imperfeições; mostrar as inseguranças dela e a falta de confiança dela às vezes. Quando eu estava falando com a Patty sobre a personagem, ambas sentimos fortemente que, quando mostramos a Mulher-Maravilha, ela simboliza tantas coisas, ela é grande para as feministas e para todos. Ela é a personagem feminina mais forte e mais poderosa e eu não queria retratá-la de uma maneira em que ela fosse uma castradora, uma mandona ou uma sabe tudo, eu queria que as pessoas pudessem amá-la. Acho que você pode amar as pessoas quando você vê que elas não são perfeitas e quando você vê que elas são flexíveis, amorosas e têm boas intenções.

P: Agora que veremos a Mulher-Maravilha em Liga da Justiça, você acha que o público vai entendê-la e apreciá-la mais?
G: Sim, eu considero isso muito importante. A Mulher-Maravilha é uma figura tão icônica e ela definitivamente merecia ter uma história de origem. Então, estou feliz que pudemos mostrar isso. Precisávamos contar a história de origem dela, porque não estabelecemos isso no primeiro filme que ela aparece (Batman v Superman: A Origem da Justiça). Todos os super-heróis que conhecemos, seja o Superman, o Batman ou o Homem-Aranha, todos têm a sua história de origem e sempre compreendemos de onde eles estão vindo e o que fez eles se transformarem em quem realmente são.

P: Você pode falar sobre seus figurinos de Mulher-Maravilha? Você tem um preferido?
G: Eu tenho 14 figurinos diferentes neste filme, então é difícil escolher entre o prata e o dourado. Nenhum dos figurinos é leve, mas também não são muito pesados. Eu tenho um figurino que é o mesmo que eu usei em Batman v Superman, embora esse seja muito mais confortável do que o original. Felizmente, não tenho que vesti-lo por muito tempo. No entanto, quando estávamos nos preparando para Mulher-Maravilha, deixei claro que eu precisava ter um pouco de oxigênio passando pelo meu corpo para eu poder gravar o filme. Então, ajustamos o traje, mudamos o material e o deixamos um pouco maior, para que não fosse super, super apertado. Eu o usava todos os dias e gravamos por mais de 117 dias e eu tinha que atuar nele. Então, essa nova versão é excelente, posso até dormir nela. É como um pijama agora para mim! Eu adoro o figurino, acho que é super forte e sexy ao mesmo tempo, e amor o jeito que ele é.

P: Como foi trabalhar na tela verde, com todos os efeitos especiais?
G: Devo dizer que tivemos muitas locações nesse filme. Muitas. O primeiro mês e meio foi inteiro em locações em Londres, primeiro, e depois outro mês e meio na Itália, então tivemos aproximadamente mais de um mês de gravações no estúdio, o que é muito incomum nesses filmes sci-fi repleto de ação, então, na verdade, foi ótimo.

P: Você teve que passar por muito treinamento físico para esse papel? Claramente, há cavalgada, mas o que mais você precisou aprender durante a preparação?
G: É o que é. Antes de começar a gravar Mulher-Maravilha, senti como se eu fosse uma menininha olhando para o Monte Kilimanjaro e pensando, “Como é que eu vou escalar até em cima?”. Mas, lenta mas seguramente, e com a equipe certa, sabe, as melhores pessoas para te acompanhar nisso, eu fiz. Acho que a coisa mais desafiadora para mim foi, na verdade, o trabalho físico. Mesmo enquanto gravava eu tinha uma tenda no estúdio e toda vez que fazíamos uma pausa, eu ia treinar, então eu estava treinando o tempo todo. Foi muito difícil, e quando você adiciona o fato de que filmamos na Inglaterra no meio do inverno, não vestindo muita roupa, esse foi o maior desafio que eu tive no set. Estava tão frio que eu mal podia falar.

P: Como foi ser um membro maduro da máquina de filmes da DC?
G: (Risos) É louco, porque quando eu trabalho, é sempre muito importante para mim fazer o melhor trabalho que posso. Mas neste caso, foi ainda mais importante, pois tantas pessoas se importam tanto com essa personagem. Você tem que respeitar isso e deve respeitar o legado que essa personagem tem. Temos um excelente elenco em Liga da Justiça… e eu tive que me concentrar em minha responsabilidade, que era ajudar a contar a história e dar o meu esforço de 100%.

P: A sua jornada de Miss Israel, servindo como treinador de ginástica nas forças armadas de Israel, para uma grande estrela de cinema é uma história incrível por si só.
G: O meu objetivo original na vida era ser coreógrafa. Eu danço desde os 12 anos de idade e, mais tarde, recebi muitas ofertas para trabalhar como modelo, mas quase sempre eu recusava esse trabalho. Eu achava que ser modelo era muito superficial. Mas aí me convenci a participar do concurso Miss Israel e fiquei totalmente surpresa e estava completamente despreparada quando ganhei. Foi quando comecei a aceitar trabalhos de modelo. Mas eu também fui para a universidade e estudei Direito.

P: Como você entrou na atuação, então?
G: Por acidente. Meu agente de modelo disse que um colega tinha visto minha foto e sugeriu que eu devesse fazer um teste para ser uma Bond Girl. No início eu disse “Não”, porque eu não sou atriz e não falava inglês perfeitamente. Por fim, decidi fazer o teste e fiquei totalmente fascinada com o processo. Eu não consegui o papel [foi em 007 – Quantum de Solace e ele foi para Olga Kurylenko], mas, depois, fiz uma audição para um programa de TV israelense e fui contratada para ele. Depois, consegui o papel em Velozes & Furiosos e, desde então, estou vivendo um sonho!

P: Agora você é mãe de duas filhas. Como você se sente quanto a maternidade e a sua vida com seu marido, Jaron?
G: Meu marido é um ótimo homem que me apoia plenamente em tudo. Ele é o melhor. Adoro cada momento que passo com ele e com as minhas filhas. Ele também é um homem de negócios bem sucedido e muito envolvido nisso. Mas, mesmo que ambos estejamos ocupados com o nosso trabalho, a nossa vida familiar vem em primeiro lugar. Eu sou uma mulher muito, muito feliz, que não vê a hora de voltar para casa para a minha família toda vez que eu termino [de gravar] um filme.

12 estrelas extraordinárias, um ano muito importante, o portfólio 2018 de Hollywood está aqui

A Vanity Fair divulgou a capa da sua edição anual especial chamada Vanity Fair Hollywood Portfolio: 12 Extraordinary Stars, One Momentous Year (Portfólio de Hollywood da Vanity Fair: 12 Estrelas, Um Ano Importante).

A edição especial da revista foi criada por Graydon Carter há 25 anos e, desde então, o jornalista tem ajudado a criar o portfólio de estrelas de cada ano. Em 2018, a última edição que conta com a colaboração de seu criador se inspirou no movimento #MeToo e trouxe para a capa da revista mulheres protagonistas, bem como os homens que as apoiam.

As estrelas da capa deste ano não hesitam em falar sobre os momentos que estamos vivendo e as mudanças que precisam acontecer. Assim, temos Reese Whiterspoon e Nicole Kidman invocando o grito de guerra das mulheres de Big Little Lies, ao lado de Tom Hanks que interpreta Ben Bradlee, o ajudante indispensável da heroína Katherine Graham, em The Post. Também temos Claire Foy e Gal Gadot, representações formidáveis de suas personagens, a Rainha e a Mulher-Maravilha, e uma futura presidente nesse meio, Oprah Winfrey.

GAL GADOT, atriz, modelo.

13 filmes, incluindo Mulher-Maravilha (2017).

Fisicamente, a atriz israelense, modelo e ex-treinadora de combate das Forças de Defesas de Israel, Gal Gadot trouxe todos os atributos certos, altura e beleza imponente, atletismo, glamour de deusa, para a tarefa de interpretar a Princesa Diana, filha de Hoólita, melhor conhecida pela vizinhança como Mulher-Maravilha. Mas foi um poder secreto que Gadot tirou da manda que ganhou o dia: charme. Em uma temporada de filmes de sucesso com tão pouca diversão, o ânimo exuberante de Gadot (e a direção de Patty Jenkins) redimiu a franquia da DC. O resto da Liga da Justiça deveria entregar o calção.

Assista aos bastidores da sessão de fotos nos dois vídeos a seguir.

Assista também a Gal Gadot mostrando quando é o seu talento secreto, nos estúdios da Vanity Fair.

Inicio » Ensaios Fotográficos | Photoshoots » 2018 » 002 | Annie Leibovitz [Vanity Fair]

Inicio » Revistas | Magazines » 2018 » Vanity Fair Hollywood Portfólio: 12 Extraordinary Stars, One Momentous Year

Mais notícias:12345...102030...Última »