Como noticiamos anteriormente, no último domingo (02), Gal Gadot participou de uma conversa na instituição 92nd Street Y, em Nova York. Além de falar sobre o início de sua carreira e suas experiências no set, a atriz falou sobre balancear a vida familiar com o seu trabalho.

É um dos meus maiores desafios. Eu acho que toda mãe que tem uma carreira pode se identificar com isso. Você está sempre se sentindo culpada por não fazer o suficiente em casa ou não estar trabalhando o suficiente no roteiro, ou seja lá o que for.” Gal Gadot contou para a plateia do 92Y.

No fim do dia, seus filhos se unem a sua vida e você os trás aqui, eles se juntam a sua vida. Você não tem que mudar a sua vida para acomodar as crianças,” ela disse. “Claro, nossos filhos são sempre a primeira e mais importante prioridade, mas eu percebo que tudo bem ter uma vida diferente. Tudo bem ter uma rotina e não ser como todo mundo. E, tudo bem; contanto que a família esteja junta e vocês sejam felizes e façam as coisas juntos, está ótimo.

Gal Gadot se recordou de uma história sobre a sua filha mais velha, Alma, durante as gravações de Mulher-Maravilha. A atriz treinou e trabalhou seis dias por semana e mesmo quando estava de folga, ela se preparava para viver a princesa Amazona. “Na época, eu só tinha a minha filha de seis anos e não conseguia passar tempo o suficiente com ela, o tanto de tempo que eu queria, e eu me sentia muito culpada,” ela contou. “Eu a levava para o set e fazia FaceTime com ela o tempo todo. Trouxemos familiares para ficarem com ela. Foi um circo.

Gal Gadot contou que o pagamento pelo seu trabalho duro no filme veio quando ela estava em casa com a filha, enquanto aguardava as críticas dos filmes do verão. Na noite em que a opinião dos críticos sobre Mulher-Maravilha foi publicada, Alma quis que a mãe dela a colocasse para dormir. “Eu falei para ela, ‘Vou te por na cama. Vou ler uma história, mas às 21h, eu preciso trabalhar.’ [A Alma] disse, ‘Claro, claro, claro.’

Como Alma não queria sair do lado da mãe, Gal Gadot trouxe o laptop dela no quarto da filha. Quando as críticas começaram a ser publicadas, a atriz disse que ela estava deslumbrada. “Aí eu falei para a Alma, ‘Você precisa tentar dormir. Eu vou fazer um telefonema para a [diretora] Patty [Jenkins].” Enquanto as duas conversavam e comemoravam as críticas positivas, Gal Gadot disse que Alma sentou do lado dela. “De repente, Alma estava sentada perto de mim, olhando nos meus olhos e pulou, me abraçando. Aí ela disse, ‘Tenho tanto orgulho de você, mamãe.’

A atriz disse que o ensinamento que ela teve disso tudo, e que ela compartilhou com a filha, foi que o trabalho duro compensa e que ela não conseguiria ter feito isso sem a família dela. “‘Veja, todas as vezes que eu não consegui te ver o suficiente e que eu estava trabalhando, que estava frio e você veio me ver no set e a gente odiou? Nós demos duro o bastante. As pessoas amam o filme. Valeu a pena. Valeu a pena.’ [Alma] começou a chorar de felicidade e foi como uma realização da família toda. Não foi só eu. Foram todos nós.

Ainda falando de sua família, a atriz disse que o sucesso de Mulher-Maravilha colocou a imprensa atrás dela em todos os lugares. “A primeira semana foi loucura. Eu tinha paparazzi do lado de fora da minha casa 24h por dia, 7 dias por semana, fazendo turnos. Israel é como uma grande vizinhança. Todo mundo conhece todo mundo e não existem tantas pessoas como na América. Então, eu conheço os paparazzi pelo rosto. Eu sai de casa e disse, ‘Ouça, pessoal, vocês podem tirar quantas fotos de mim vocês quiserem, mas, por favor, não entrem na minha casa. Isso deixa a minha família desconfortável.’ E eles respeitaram,” Gal Gadot contou, sobre enfrentar os paparazzi de Israel. Ela disse que desde que falou com os paparazzi, tem sido mais fácil andar por aí sem se preocupar em ter uma câmera no rosto dela o tempo todo. “Desde então, tem sido maravilhoso. Eu tenho andando por aí com a minha filha, ido a cafeteria. Estou em casa. É como se eu não fosse nada para eles. 

Com informações do The Insider