O site de notícias Variety teve a oportunidade de conversar com Gal Gadot, durante a estreia de Los Angeles de Vizinhos Nada Secretos, seu novo filme, no último fim de semana. Nessa entrevista conduzida por , Gal Gadot fala sobre o legado da Mulher-Maravilha e o que os fãs podem esperar do filme que estreia em junho de 2017.

Não deve ter sido fácil, entrar no papel emblemático interpretado por Lynda Carter, mas Gal Gadot conseguiu fazer dela a própria Mulher Maravilha. Ela se tornou a favorita dos fãs e provou ser digna de vestir o uniforme e os braceletes de ouro, quando se juntou com O Cavaleiro das Trevas e o Homem de Aço no ano passado em Batman v Superman: A Origem da Justiça. No próximo verão, ela se tornará o centro das atenções como a estrela de Mulher-Maravilha, dirigido por Patty Jenkins.

O Variety conversou com Gadot sobre o legado da personagem e o que os fãs podem esperar.

Qual é o segredo da atração da Mulher-Maravilha?
As pessoas se identificam com ela. Ela tem o coração de um humano e tem muita compaixão, mas as suas experiências – ou a falta delas, sua ingenuidade, na verdade – fazem ela ficar interessada em tudo ao seu redor e ser capaz de ver o mundo de uma maneira que todos nós gostaríamos de ver: com uma curiosidade genuína.

Você acha que foi importante ter uma diretora mulher para o filme Mulher-Maravilha?
Eu não acho que seja uma coisa de gênero. Talvez, por estarmos contando a história de uma menina crescendo e se tornando uma mulher, é mais fácil que ela seja contada por alguém que já foi uma menina e se tornou uma mulher. Eu sinto que a Patty Jenkins era a pessoa certa para o filme porque ela era a pessoa certa. Ela sabia exatamente como queria contar a história dela. Ela sabia exatamente onde queria chegar. Ela é brilhante, inteligente e muito apaixonada.

Qual foi a visão de Jenkins para contar a história da Mulher-Maravilha?
Para ela, foi muito importante não só retrata-la como uma deusa, mas contar uma história muito simples de alguém que acredita na bondade e acredita que as pessoas deveriam ser felizes e ter vidas seguras e felizes. Nós nos preocupamos muito em deixar os trabalhos da Mulher-Maravilha simples, porque é simples. Era com o coração dela que nós nos preocupamos, não com ela sendo essa guerreira. Quando você conta uma história que vem do coração, todos nós podemos nos identificar com ela, porque todos nós queremos viver em um mundo seguro, tranquilo e pacifico.

Greg Rucka, um escritor de longa data (dos quadrinhos) de Mulher-Maravilha, acredita que a personagem é bissexual. Ele argumenta que porque ela viveu em Themyscira, que é habitada apenas por mulheres, ela deve ter tido relacionamentos homossexuais. A Mulher-Maravilha é bissexual no filme?
Não é algo que exploramos. O assunto nunca surgiu, mas quando você fala teoricamente sobre todas as mulheres em Themyscira e quantos anos ela esteve lá, então o que ele disse faz sentido. Neste filme, ela não passa por nenhum relacionamento bissexual. Mas não se trata disso. Ela é uma mulher que ama as pessoas por quem elas são. Ela pode ser bissexual. Ela ama as pessoas pelo coração delas.

Quanto tempo você demora para vestir o traje de Mulher-Maravilha e como é estar vestida assim?
Me leva 5 minutos para tirá-lo e 20 minutos para vestir o traje completo. Passei um ano nele, de Batman v Superman até Liga da Justiça. De um filme para o outro, foi ficando cada vez mais confortável. Eu adoro como ele é, mas eu não me sentia confortável no início. Eu me sinto melhor nele, agora, o que foi muito importante, pois o papel é muito físico.

Qual é a sua arma preferida da Mulher-Maravilha?
Eu gosto do laço da verdade. Há algo tão bonito no fato das pessoas terem que falar a verdade, quando estão com o laço em volta delas. E não é muito violento.