Em agosto de 2018, diversos jornalistas de vários veículos de imprensa visitaram o set de Mulher-Maravilha 1984. Dois anos depois, a visita no set pôde finalmente ser compartilhada e diversas novas fotos e informações do filme foram reveladas.

Listamos a seguir as principais novidades compartilhadas pelos jornalistas que puderam conferir de pertinho as maravilhas por trás de Mulher-Maravilha 1984. Confira em nossa galeria as novas fotos divulgadas do filme e não perca o lançamento do segundo trailer do filme este sábado, 22 de agosto, no DC FanDome.

1. Existem três grandes locais no filme

A história do filme se passa em três locais diferentes, mas importantes: Themyscira, de onde Diana veio; Washington, D.C., onde ela vive na época do filme; e Cairo, Egito.

2. O filme começa com as Olimpíadas das Amazonas

Embora a maior parte do filme se passe em 1984, começamos em um lugar onde o tempo não existe: Themyscira,” disse a produtora associada Anna Obropta durante a visita. A cena de abertura do filme é os “[Jogos] das Amazonas”, como os cineastas o chamaram, um evento que mostrará as impressionantes habilidades atléticas das guerreiras, grande parte dele gravado em cenários enormes e reais que visitamos. “Você vê essas amazonas realizando esses desafios sobrenaturais e impossíveis e elas são graciosas e ferozes, é como se o American Ninja Warrior se misturasse com esportes radicais e o Cirque du Soleil, mas meio que nada disso,” continuou Obropta.

A diretora Patty Jenkins contou que gostaria de ter colocado os jogos no primeiro filme, mas não havia espaço para ele. “No primeiro filme … isso me matou, porque, originalmente, faríamos os Jogos das Amazonas, que é como, na história tradicional, Diana chegou lá, mas ele não se encaixou muito bem no enredo. Esta foi uma ótima maneira de dizer, ‘Oh, há uma lição que eu realmente quero aprender com as Amazonas desta vez e o que perdemos da última vez? E como podemos ver algo totalmente diferente?’

3. A jovem Diana está de volta

Já sabíamos que Lilly Aspel retorna em seu papel como jovem Diana no filme e é ela que está competindo nos Jogos Olímpicos das Amazonas, interpretando a guerreira aos 10 anos de idade. “Ela está competindo com as guerreiras amazonas nesta competição de estrelas e a batalha começou. Há uma corrida com obstáculos, há andar a cavalo, há natação e arco e flecha. Não vou dizer quem ganha, mas direi que há lições a serem aprendidas,” revelou a produtora Anna Obropta.

4. Veremos rostos conhecidos na cena de abertura

Como já sabemos, também, Robin Wright está de volta em seu papel de General Antiope. Outro rosto conhecido é a lutadora de boxe Anne Wolf que interpreta Artemis.

5. A Guerra Fria fará um grande papel também

Muitos especulavam sobre a Mulher-Maravilha lutar contra a guerra fria neste filme, por conta de sua época. Patty Jenkins disse que, “[ela] está lá em grande estilo. Acho que a maneira como o mundo estava, em um impasse moderno acontecendo naquela época, é muito evocativa para o que está acontecendo agora [na vida real].

6. O apartamento de Diana é no edifício Watergate

Em 1984, Diana mora no edifício Watergate, o famoso prédio do escândalo de Watergate que culminou com a renuncia do presidente estadunidense Richard Nixon. “Ele é um prédio incrível conhecido por outros motivos. Fico muito feliz em dar a este prédio algo além de ser o edifício de um escândalo,” disse a designer de produção Aline Bonetto.

7. A história envolve os desejos das pessoas se tornando realidade repentinamente

A diretora Patty Jenkins disse que os temas de Mulher-Maravilha 1984 são “excesso e desejo” e a história envolve os desejos da humanidade sendo realizados de repente. Tudo está ligado à ideia dos anos 1980 ser uma era de materialismo, excesso e ganância. “Todos os sonhos da humanidade começam a se tornar realidade. No início é ótimo. As pessoas estão conseguindo o que querem. Mas o que acontece se todos tiverem tudo o que sempre quiseram? O que acontecerá se você tiver tudo que acha que merece?”  questionou a produtora associada Anna Obropta.

E falando sobre os desejos serem realizados e o retorno de personagens que já ficaram no passado, Charles Roven deu uma dica preciosa: “Muitos dos personagens deste filme têm desejos que estão tentando realizar. Acho que se você ligar os pontos com o que acabei de dizer, você vai descobrir [como Steve se encaixa].

8. As pessoas podem se identificar com esta versão de Max Lord

Acho que ele é muito humano,” disse o ator Pedro Pascal. “Eu não acho que podemos escapar de algo que você não consegue se conectar no mundo de Patty. E isso é muito legal. Porque é, eu interpretei pessoas que eu não gostava e que não deveria gostar deste cara. Devo dizer que gosto desse cara, principalmente das roupas dele.

No set, Pedro Pascal explicou que o interessante de seu personagem é que ele não é sobrenatural, mas é apenas um ser humano com defeitos. “Estou trabalhando com a Patty em cenas muito reais e coloridas. É uma aventura, mas parece mais com fazer uma peça ou um drama ou comédia real. Vocês serão capaz de decidir [se ele é o vilão] quando verem o filme. Quando verem, serão capaz de interpretar isso por si mesmos. E esse é o olhar original deste filme, é que eles são seres humanos e não quero dizer isso de uma forma básica, quero dizer isso de uma forma muito importante.

9. A Mulher-Leopardo passa por uma grande transformação

A figurinista Lindy Hemming compartilhou alguns detalhes sobre a transformação de Barbara em Mulher-Leopardo através das lentes de seus trajes. Barbara começa como uma mulher típica dos anos 1980, mas acaba se tornando mais punk ao se transformar em Mulher-Leopardo. “Neste filme, os looks punk são uma grande coisa,” disse a figurinista. Seus trajes punk incluem saias com estampa de cobra e jaquetas de couro cravejadas, inspiradas na personagens Pris, de Daryl Hannah, no Blade Runner original.

A diretora revelou, também, que havia considerado introduzir a vilã no primeiro filme, quando estava pensando em como os poderes de Diana afetariam o mundo, “É uma daquelas coisas em que me peguei dizendo que há algo que o mundo quer discutir e ela tem esse laço de verdade e a verdade acaba aparecendo em grande escala. E ai, tudo começou a se encaixar na época, as coisas diferentes do enredo e a Mulher-Leopardo e saber que a queríamos. Acho que até conversamos sobre querer que a Mulher-Leopardo aparecesse no início do último filme, porque até íamos plantá-la nele. Então, essa ideia foi meio que se formando há um longo tempo.

Aparecendo apenas no segundo filme, a diretora disse que a Mulher-Leopardo terá “mais influências de terror.

10. Falando na Mulher-Leopardo, esta é uma combinação de diferentes versões dos quadrinhos

Existem tantas versões diferentes dela e gosto de todas“, disse a diretora Patty Jenkins. “Da mesma maneira que eu abordei o primeiro filme onde eu estava tipo, ‘Qual é a essência da Mulher-Maravilha que somos fãs e como eu honro isso?’ Era isso que eu me preocupava com a Mulher-Leopardo. Então, em vez de dizer, ‘Eu vou pegar a versão do Liam [Sharp]’, ou a versão de qualquer pessoa, eu olhei para todas as diferentes encarnações da Mulher-Leopardo e disse: ‘Então, qual é a essência dela? Quem é a Mulher-Leopardo no mundo e o que ela representa e como podemos [dizer isso]?’

Houve muitas manifestações físicas da Mulher-Leopardo, mas a essência sempre foi a mesma, que ela é alguém que deseja ser como esses outros super-heróis e deuses,” disse Jenkins. A diretora Patty Jenkins disse que ficou fascinada com a personagem de Kristen Wiig não porque ela é o oposto de Diana Prince, mas porque tem inveja dela. “Ela é uma personagem que deseja os poderes de Diana, mas não pode ser confiável com eles. É tipo, ver um ser humano se envolver com superpoderes e as escolhas que eles fazem com eles. Isso é o que eu sempre gostei na Mulher-Leopardo.

11. O presidente dos Estados Unidos no filme não é Ronald Reagan

O verdadeiro presidente dos Estados Unidos da época não é o mesmo no filme. Na verdade, a diretora Patty Jenkins disse que ela fez de tudo para garantir que o presidente fictício deles não fosse como Reagan. “[Trump] é [uma influência em Max Lord], mas eu não estou tentando mostrar [um ponto de vista]. Não quero ser política.

12. Diana está solitária no início do filme, mas entende melhor a humanidade

A personagem de Gal Gadot basicamente vivia isolada, quando a vemos em 1984. “Ela realmente entende as complexidades da vida e o que significa ser humano. Ela é bastante solitária, ela é super doce e simpática e tem boa vontade com todos que encontra. Ela se envolve com as pessoas, mas não tem nenhum relacionamento próximo porque ou ela vai machucá-los, em algum momento ela vai ter que desaparecer, ou ela vai se machucar porque eles vão morrer e ela não. E acho que ela aceitou esse fato. No fundo, sua vocação é estar aqui e ajudar a humanidade, fazer o bem. E é exatamente o que ela está fazendo. Mas ela ainda sente falta, sabe, daquele que foi o amor da vida dela. Ela nunca explorou realmente o relacionamento [com Steve].” Ela continuou, “Ela quer estar neste mundo, mas ela teve uma grande perda. Acho que Steve realmente era seu amor e é uma sensação muito difícil viver a vida como se tudo estivesse bom. Os anos passam e você realmente não consegue viver sua vida.

Acho que a Diana está sempre meio decepcionada com a humanidade,” acrescentou Patty. “Ela é otimista e sempre fica um pouco triste quando a humanidade faz as escolhas erradas.

13. O romance de Diana e Steve continua, mas é diferente

Quando Steve retornar neste filme, ele ainda será o interesse amoroso de Diana. Mas a dinâmica terá mudado, explicaram Chris Pine e Gal Gadot. “Ele não é mais quem era, ela está um pouco diferente. Vem de um lugar diferente, porque Steve foi seu primeiro amor e o primeiro homem por quem ela se apaixonou. E ela era muito jovem quando o conheceu e ele meio que abriu os olhos dela e descobriu o mundo para ela, de certa forma, literalmente com romance e com o próprio mundo. Agora o relacionamento deles está muito mais maduro e houve tantos anseios e, sabe, é verdade que você só sabe o que tinha depois de perdê-lo.” Ela continuou, “Ela está esperando por ele, já se passaram 80 anos desde a última vez que se conheceram e ela não amou mais ninguém desde então.

Patty Jenkins, Gal Gadot e Chris Pine gostaram tanto de trabalhar juntos que começaram a pensar em maneiras de trazê-lo de volta enquanto ainda faziam o primeiro filme.

Sabe, é engraçado, filmamos Mulher-Maravilha e já estávamos fantasiando com o próximo filme. Nós três trabalhamos muito bem juntos e nos amamos de verdade. E mesmo neste, já estamos falando sobre nossa próxima jornada juntos e ‘Qual é o próximo filme que faremos juntos?’ só porque realmente temos uma ótima química e gostamos de trabalhar juntos,” disse Gal Gadot

Essa história toda me veio [a mente] provavelmente no meio do caminho, não a coisa toda, não em grandes detalhes, mas a forma dela veio a mim, eu diria, no meio da filmagem do primeiro filme,” Jenkins elaborou. “Não surgiu de, ‘Puta merda, isso foi tão bom. Temos que trazer Steve de volta.’ Na verdade, toda a história é uma história que se encaixa muito bem.

14. O papel de Diana e Steve estão trocados neste filme

No primeiro filme, Diana é, claro, um total peixe fora d’água e neste é divertido para o público e é uma mudança completa desta dinâmica,” disse Chris Pine. “[Steve] é bem menos o realista cansado da guerra, o profissional de guerra que ele é no primeiro, e neste é meio que, sabe, um garoto paralisado pela maravilha desta incrível era de sofisticação . E agora é a Diana que está cansada, tipo, todos os seus amigos morreram, seu amor morreu.” Ele completou, “Ele está olhando e recebendo tudo com amor e apreço. Não é um tempo de guerra para ele, é um tempo de revelação e admiração.

15. A Mulher-Maravilha tem um domínio melhor de seus poderes neste filme e mais habilidades

Quando a vimos em Mulher-Maravilha, ela estava apenas começando a entender suas capacidades e agora ela está experiente, se é que podemos dizer assim, porque ela tem feito o que faz desde o final da Primeira Guerra Mundial até 1984,” disse o produtor Charles Roven . “É tempo de sobra para ela expandir seus poderes.

Uma das melhores coisas na Diana como personagem é que ela está sempre aprendendo e sempre tendo lições de vida,” acrescentou. “Isso a torna uma personagem melhor, mas também influencia o que ela faz com seus poderes.

16. Eles queriam fazer um filme em que a Mulher-Maravilha ainda estivesse “agindo nas sombras”

Quando ela apareceu em Batman v Superman, a Mulher-Maravilha falou sobre ter se afastado da humanidade.”Isso é meio que respondido em Liga da Justiça no sentido de que a definição de ela se afastar da humanidade era que ela simplesmente não se permitiria ser alguém que era um símbolo, porque estava fazendo as coisas sem chamar atenção,” disse o produtor Charles Roven. “No final da Liga da Justiça, ela sai das sombras. Então, quando a vemos em 1984, ela ainda está nas sombras. Essa é a questão.

17. Patty Jenkins não queria lidar com a dinâmica de grupo

Ainda falando sobre a ideia da Mulher-Maravilha nos tempos mais atuais, a diretora Patty Jenkins não queria lidar com a dinâmica de grupo de super-heróis, por isso preferiu um filme no passado, “Para ela em particular, ela acabou de se tornar a Mulher-Maravilha no primeiro filme, então eu meio que queria um filme muito mais solo, assim que você for para os dias de hoje, você realmente terá que lidar com todos os outros heróis. Então eu pensei, ‘Precisamos de um filme sobre a Mulher-Maravilha, agora, neste mundo.’

18. Há uma correlação interessante entre as lutas de Diana em ambos os filmes

No primeiro filme, Diana viu o mundo em preto e branco e viu a guerra como uma pessoa ou deus que ela poderia simplesmente derrotar,” disse Pine. “E agora a ganância é como um grande conceito abstrato. Como ela vai tentar derrotar isso como um conceito, se é que ela tenta?” Os atores deram a entender que não será tão simples.

19. O traje dourado de Mulher-Maravilha é realmente icônico

Como já sabemos, Gal Gadot usará uma versão da icônica armadura dourada com asas em Mulher-Maravilha 1984 que é tão conhecida nos quadrinhos. “Houve milhares e milhares de debate sobre ‘As asas realmente combinam com este [filme]?’ Então, no final, as asas se tornaram um escudo,” revelou a figurinista Lindy Hemming. “As asas são quase como asas de parapente, e assim, com um estrondo e outro estrondo, elas se tornam escudos romanos. Então, ela está protegida. Não vou contar a história de por que esse é o tipo de proteção de que ela precisa, mas, basicamente, seu estilo de luta é com os escudos. Então, estou muito satisfeita agora, porque acho que não havia lógica para ser um par de asas, mesmo. Mas existe uma lógica que seja algo em que ela possa planar.”

Jenkins elaborou mais tarde: “Ela precisa de um estilo diferente de armadura para lutar contra a Mulher-Leopardo, porque ela pode te atingir em todos os seus membros.

Em vez de ser agressiva, ela é defensiva,” continuou a figurinista. “O modus-operandi dela é que ninguém pode atingi-la, então seu oponente se cansa … Ela não os matou ou machucou ou atacou, ela, como um boxeador faz, fez com que usassem toda a sua energia.

20. Há uma homenagem por acaso a um traje usado por Lynda Carter

Comecei a procurar na Internet lindos figurinos dos anos 80 e este que encontrei era da Brooke Shields nos anos 80, então Lindy, nossa maravilhosa figurinista, apenas o executou,” disse Gal sobre o traje. “E então, apenas através dos fãs, descobri que Lynda [Carter] tinha um semelhante.

Quanto a Lindy Hemming, a figurinista explicou que Diana “não vai muito para casa” no filme e seus trajes costumam ser elaborados a partir do que ela pode encontrar ao longo de sua aventura.

21. Os próprios atores nunca se acostumam a ver a Gal no traje da Mulher-Maravilha

É incrível,” disse Pascal. “É um sentimento muito nerd que você tem até mesmo ao conhecê-la pela primeira vez. E o sentimento que você tem, eu percebi hoje, você nunca se acostuma de verdade com isso, sabe? Ela entra e te cumprimenta com um sorriso realmente caloroso e vai tipo, ‘Vamos comer um hambúrguer no sábado. Eu quero uma p**** de um hambúrguer. Vamos comer um.’ Sabe o que quero dizer? E ela está com o traje da Mulher-Maravilha. Sabe? E você fica tipo, ‘Isso é legal. Isso é muito legal.’
22. Patty Jenkins já tem ideias para o terceiro filme da super-heroína

Obviamente, o Coronavírus mudou o mundo do entretenimento desde 2018, mas na época ela tinha esperanças de um terceiro filme da Mulher-Maravilha. “De onde veio o segundo filme, era eu como fã dela e como fã de filmes de super-heróis, desejando o que não tive, ou seja, eu queria ver a Mulher-Maravilha na p**** do mundo, não se encontrando. Tipo, a p**** da Mulher-Maravilha!” disse Jenkins. “E há mais uma coisa que estou com desejo que é honesto ao tema dela e a tudo o que ela representa, que eu fico tipo, ‘Ooh, há mais um capítulo da Mulher-Maravilha que ainda não entendemos. Não faz muito sentido para este filme. Não fez para o último também.’

23. O Jato Invisível não está no filme

Enquanto Jenkins insistia que ela não podia discutir o assunto do Jato Invisível, ela explicou que “teria que ser feito de uma maneira totalmente nova.

Acho que o jato invisível é uma daquelas coisas que são tão engraçadas, porque cada coisa que qualquer um desses super-heróis tem é tão boba em teoria e então quando falamos sobre isso, falamos sobre isso como se nada fosse ser feito para atualizá-lo. Então, a única coisa que direi é o que sempre disse sobre o jato invisível: farei quando puder fazê-lo de uma maneira super legal. Tem que ser algo diferente do que ela voando pelo céu em um jato invisível, o que é bom no papel, não é ótimo no [filme] moderno.

24. O filme falará sobre sexismo e discriminação nos anos 1980, mas não é o foco

Assim como da primeira vez, eu não estava fazendo o filme sobre isso,” disse Jenkins. “Achei que era uma forma hilária de olhar para os problemas da época, tipo, ela não sabe sobre eles, nem se importa com eles.” Ela elaborou: “Isso deixa tudo muito claro, tipo, ‘Do que você está falando, as mulheres não entram na sala? Por que não?’ É a mesma coisa desta vez.

25. Aquela foto de Clube dos Cinco publicada por Pedro Pascal no Instagram foi um acidente

Foi um acidente!” ele riu. “Não foi planejado e as pessoas tiveram que vê-la para ter certeza de que não havia nada para que houvesse problemas e não havia.” Ele também explicou exatamente como ele acabou publicando a foto: acontece que ele estava apenas tentando usar um filtro. “Eu uso o filtro do Instagram para deixar a foto como eu quero que ela fique para guardá-la no meu celular. E então o que você faz é postá-la e deletá-la em um instante. Esse foi o meu problema.

Fontes: GameSpot, BuzzFeed, /Film, IGN